PUBLICIDADE

Carlos Bolsonaro deixa o Republicanos e se filia ao PL

Vereador e filho ‘02′ do ex-presidente Jair Bolsonaro deve presidir diretório municipal do partido no Rio

Foto do author Gabriel de Sousa
Por Gabriel de Sousa

BRASÍLIA – O vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, filho “02″ do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), deixou o Republicanos e se filiou ao Partido Liberal (PL) nesta segunda-feira, 11. O parlamentar deve presidir o diretório municipal do partido na capital fluminense.

A filiação de Carlos Bolsonaro ao partido comandado por Valdemar Costa Netoestava selada desde janeiro. A troca ocorreu dentro da janela partidária, que começou no último dia 7. O período permite que vereadores possam mudar de sigla sem perder o mandato.

Carlos Bolsonaro deixou o Republicanos e se filiou ao PL Foto: Dida Sampaio/Estadão

PUBLICIDADE

Carlos saiu do PSC em 2020 para se filiar ao Republicanos, para se candidatar ao sexto mandato na Câmara Municipal do Rio.

O PL é o sexto partido da carreira política de Carlos. Além de PL, Republicanos e PSC, o vereador já esteve filiado ao PP por dois períodos: entre 2000 e 2003 e entre 2005 e 2016. O filho de Bolsonaro também integrou o PTB entre 2003 e 2005, deixando a legenda para ficar poucos meses no PFL, hoje União Brasil.

O filho “02″ de Bolsonaro deve ser empossado nos próximos dias como presidente do diretório do PL na cidade do Rio. Em janeiro, o vice-prefeito da capital fluminense, Nilton Caldeira (PL), atual comandante da sigla na cidade, disse que Carlos deve assumir a cadeira ainda neste mês.

“A presidência será passada ao Carlos em março, quando ele vem para o partido. O voto dele terá peso na decisão da nominata, até porque será o presidente do partido, mas a nominata será decidida por uma comissão formada pelos diretórios municipal e estadual”, afirmou Caldeira ao Estadão em janeiro.

Carlos Bolsonaro tem histórico de críticas ao PL e a Valdemar Costa Neto

Enquanto estava filiado ao Republicanos, Carlos teve um histórico de críticas ao PL e a Valdemar Costa Neto. No dia 17 de janeiro, após uma entrevista de Valdemar elogiando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o vereador disse que a sigla deveria “bater em Lula”.

Publicidade

A declaração de Carlos foi em resposta a uma nota do jornal Metrópoles que informou que o deputado federal Alexandre Ramagem (PL), pré-candidato à Prefeitura do Rio, vem recebendo cobranças por não criticar o prefeito Eduardo Paes (PSD). O filho do ex-presidente, em uma indireta, afirmou que o partido também deveria reprovar o presidente. “E o PL bater em Lula, não elogiar um merda que só faz merda”, disse o vereador em postagem no X (antigo Twitter).

Em outra ocasião, o vereador atravessou uma negociação entre o senador Carlos Portinho (PL-RJ) e Valdemar Costa Neto, como mostrou a Coluna do Estadão. Os dois acertaram as condições para que Portinho retirasse sua pré-candidatura à Prefeitura do Rio para unir forças em torno de Ramagem. Carlos, no entanto, não ficou satisfeito com o acordo.

Nas redes sociais, o vereador compartilhou um vídeo do influenciador bolsonarista Kim Paim, com críticas a Portinho, pelo que teriam sido as condições para que o senador retirasse a candidatura.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.