PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Anfavea estima efeito em cadeia para setor automotivo com aporte de R$ 270 mi do Rota 2030

Geraldo Alckmin anunciou recursos nesta 3ª feira. Diretor-executivo da Anfavea, Igor Calvet, disse que demanda do setor é maior, mas está otimista

Foto do author Roseann Kennedy
Por Roseann Kennedy
Atualização:

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) considerou uma sinalização positiva do governo Lula o anúncio de R$270 milhões para o programa Rota 2030, apesar de a demanda do setor ser maior. O diretor-executivo da Anfavea, Igor Calvet, que o investimento deve gerar efeito em cadeia na indústria.

“Reconhece-se que o setor tem o condão de puxar múltiplos atores, empresas de diferentes portes. A ideia de aliança industrial, com pelo menos cinco empresas, ICTs (instituições científicas e de inovação tecnológica), e até startups, é inovadora e fundamental. A demanda é maior do que esse valor, sabemos, mas trata-se de uma importante sinalização do governo”, disse à Coluna.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, com representantes da indústria. Foto: Gabriel Lemes

PUBLICIDADE

Calvet avalia que o anúncio feito pelo vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, terá impacto na economia em geral, tamanha a importância deste segmento. “O setor automotivo representa 20% do PIB industrial e, nos últimos anos 5 anos investiu R$ 60 bilhões no País. Trata-se de uma indústria global, que precisa usar o Brasil como plataforma de inovações”, observou.

Os recursos anunciados são para inovação e eficiência energética na cadeia de autopeças e demais fornecedores automotivos e os editais integram o programa de modernização do setor automobilístico, o Rota 2030.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.