EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Quem é a vereadora de Coroatá que pode assumir a suplência de Flávio Dino no Senado

Ministro da Justiça é senador licenciado, mas pode deixar de vez o mandato se for aceito pelo Senado como novo ministro do Supremo Tribunal Federal

PUBLICIDADE

Foto do author Augusto Tenório
Foto do author Roseann Kennedy
Por Augusto Tenório e Roseann Kennedy

A vereadora de Coroatá (MA) Maria de Lourdes Pereira e Pereira (PCdoB) pode assumir como primeira suplente de Flávio Dino (PSB) no Senado. Conhecida como Lourdinha, a parlamentar foi a segunda suplente na chapa do senador, que tirou licença do cargo para assumir o Ministério da Justiça — e pode abandonar de vez o mandato se for aprovado na Casa como novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Vereadora Lourdinha (PCdoB-MA) é a segunda suplente de Flávio Dino (PSB-MA) no Senado. Foto: Instagram @vereadoralourdinhaoficial

PUBLICIDADE

Lourdinha integrou a chapa de Dino como uma indicação do presidente do PCdoB no Maranhão, o deputado federal Márcio Jerry.

Ela está no sétimo mandato como vereadora de Coroatá e preside a Câmara Municipal da cidade, que fica a 250 km da capital São Luís e tem população estimada de 60 mil pessoas. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a vereadora tem ensino médio completo e tinha R$930 mil em bens declarados à Justiça Eleitoral na eleição de 2022.

Dessa forma, caso a primeira suplente Ana Paula Lobato (PSB) assuma o mandato definitivamente e precise se ausentar, Lourdinha poderá trocar o assento na Câmara Municipal de Caroatá pelo Senado.

Dino será sabatinado com Paulo Gonet

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (União-AP), afirmou a colegas que deseja unificar as sabatinas de Flávio Dino e Paulo Gonet no colegiado. Inédito, o formato é visto com reservas por senadores da oposição, pelo potencial de reduzir a artilharia sobre o atual ministro da Justiça, indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Supremo Tribunal Federal (STF). Dino sofre mais resistência no Congresso em relação a Gonet, indicado à Procuradoria-Geral da República. Ainda assim, a tendência é que os dois sejam aprovados.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.