PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Como a conjuntura do País afeta o ambiente público e o empresarial

Valorização Profissional e Alocação Ótima na Administração Pública Federal Brasileira

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:
Imagem divulgação  

 Equipe da SGP/MGI*

PUBLICIDADE

Instituições que gerenciam informações profissionais de seus funcionários de forma sistematizada e categorizada conseguem obter subsídios que contribuem para decisões mais qualificadas e assertivas, envolvendo a formulação de diretrizes, a construção de orientações normativas e a implantação e monitoramento de iniciativas em gestão de pessoas, tanto na Administração Pública Federal (APF), quanto em instituições privadas.

Atenta a este cenário, a Administração Pública Federal brasileira deu início a um processo de organização sistematizada e gerenciamento de dados profissionais dos servidores públicos federais, lançando em 2018 o sistema Sigepe Banco de Talentos, concebido pela equipe técnica da Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP) do Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), órgão responsável pelas políticas de gestão de pessoas de toda a APF.

Com este sistema, a APF deu início à construção de uma base unificada de dados que permite identificar e acompanhar a evolução das competências e das experiências dos agentes públicos. Os dados padronizados desse sistema refletem no aprimoramento de diversos processos de gestão de pessoas, como na seleção e alocação de servidores, identificando profissionais aptos a exercerem funções que requeiram perfil específico. Outra aplicação é no planejamento do desenvolvimento profissional da força de trabalho: sabendo quais são as qualificações, experiências e conhecimentos adquiridos pelos servidores ao longo do tempo, órgãos e entidades podem identificar o que é necessário que eles aprendam a mais para melhorar o desempenho da instituição.

Desta maneira, em âmbito governamental, saber quais são as qualificações e competências técnicas, comportamentais e profissionais dos agentes públicos contribui para órgãos e entidades dimensionarem e alocarem suas equipes de forma mais efetiva, realizarem investimentos mais eficientes para o desenvolvimento de pessoas, e estruturarem políticas de reconhecimento eficazes, mantendo o seu alinhamento e engajamento com os objetivos organizacionais.

Publicidade

Para tanto, a gestão de grandes volumes de dados requer a adoção de ferramentas seguras e que possam estar integradas com outros sistemas já existentes na instituição. Neste contexto, o desenvolvimento de um sistema informatizado para todos os órgãos e entidades da APF, além de trazer economia de custos operacionais, permite estruturar de forma padronizada a coleta de dados, resultando na construção de uma base de dados única e com informações comparáveis.

Assim, dentro deste contexto, para otimizar o acesso de servidores da APF a diversos serviços de gestão de pessoas, em 2021 foi lançado o SouGov.br. Além do acesso, a plataforma também automatizou atividades operacionais de agentes que atuam no processamento desses serviços e que realizavam suas atividades de forma manual ou distribuídas em uma variedade de sistemas e ferramentas. Como parte da estratégia de unificação e modernização dos serviços digitais, em julho de 2021, o Sigepe Banco de Talentos foi integrado ao SouGov.br e recebeu um novo nome - Currículo e Oportunidades.

Dentro do SouGov.br, o Currículo e Oportunidades passou a oferecer funcionalidades para servidores e também para usuários sem vínculo com a Administração. Além da criação do currículo, foi acrescentada a divulgação de oportunidades para ocupação de cargos e funções em órgãos e entidades da APF, em formato ágil e simples. O Currículo e Oportunidades se transformou em uma vitrine de talentos, facilitando a busca e a conexão entre usuários e novas oportunidades de inserção e atuação profissional em órgãos da administração pública federal, além de automatizar diversas etapas manuais e fragmentadas relacionadas à divulgação de oportunidades e ao recebimento de currículos dos candidatos.

Os campos que resultam na formação do currículo permitem que o usuário registre competências, experiências, trajetória de formação e de profissionalização. Para servidores da APF, a ferramenta ainda agrega dados cadastrais obtidos de forma automática a partir da integração com outros sistemas oficiais da Administração. Os dados consolidados pelo sistema resultam no currículo profissional do usuário, que passa a constar na relação para pesquisa disponível de perfis para órgãos e entidades da Administração.

Desde o lançamento do Currículo e Oportunidades no SouGov.br, até setembro de 2023, mais de 68.604 usuários se candidataram nas 1.870 oportunidades divulgadas em 700 editais elaborados por 62 órgãos e entidades do Executivo Federal. Tivemos também o aumento contínuo no número total de currículos cadastrados (servidores públicos e usuários externos). Conforme Gráfico 1, entre fevereiro de 2022 e maio de 2023, o número de currículos passou de 178 mil para mais de 658 mil, com taxa média de crescimento mensal de 9,2%.

Publicidade

Gráfico 1 - Série histórica dos currículos cadastrados

 

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

No entanto, a análise do preenchimento dos campos dos currículos identificou que o registro das informações pelos usuários na área "Formação", campo "Outros cursos", não acompanhou a evolução quantitativa de cadastro de novos currículos: em fevereiro de 2022, 42 mil currículos possuíam informações no campo "Outros cursos"; em maio de 2023, este número aumentou para 53 mil currículos, representando uma taxa média de evolução mensal de apenas 1,5% de preenchimento do campo.

Esta situação dificulta a obtenção de dados que possam ser empregados na identificação de competências e experiências, pois a falta de registro de suas trajetórias, interesses e competências, deixa de contribuir com a estruturação de ações voltadas para o desenvolvimento profissional e para uma distribuição mais adequada da força de trabalho no interior da administração pública federal.

Sabemos que o preenchimento dos currículos pelos mais de 500 mil servidores ativos da APF envolve aspectos como o conhecimento do usuário sobre o sistema e aspectos estruturais e organizacionais dos órgãos e entidades. Por isso, a SGP/MGI tem investido na divulgação institucional da ferramenta e no desenvolvimento de novas funcionalidades que melhorem a experiencia dos usuários do currículo e dos dados da base unificada.

Nesta direção, a mais recente melhoria, lançada em agosto de 2023, foi a integração do Currículo e Oportunidades com o serviço de gerenciamento de cursos e demais ações de desenvolvimento da Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Com esta integração, as ações concluídas na Enap pelos usuários da ferramenta Currículo e Oportunidades passaram a constar automaticamente em seus currículos, resultando no preenchimento automatizado dos campos da seção "Formação", e consequentemente, melhorando a qualidade da informação registrada.

Publicidade

Ao compararmos as informações preenchidas na seção Formação/Outros Cursos, usando os 658 mil currículos inicialmente atualizados, observamos um aumento considerável no registro das informações. O número de currículos com informação nessa seção praticamente triplicou, passando de 53 mil para 155 mil e o percentual de preenchimento passou de 8,06% para 23,57%. Este tipo de aperfeiçoamento pode auxiliar, por exemplo, no planejamento das ações de desenvolvimento profissional dos servidores, pois a partir da priorização de necessidades cujos temas ainda estejam sendo pouco estudados, intensifica-se o alinhamento entre a Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoas (PNDP)[1] e os objetivos institucionais das organizações públicas.

Desta feita, os resultados iniciais da integração para atualização automática dos currículos com as ações de desenvolvimento reforçam a necessidade de contínuo aprimoramento do Currículo e Oportunidades, para que a ferramenta apoie ainda mais outros objetivos estruturantes de gestão de pessoas, como a gestão de desempenho, a movimentação e alocação de servidores, o desenvolvimento de competências, o dimensionamento da força de trabalho, o reconhecimento e a valorização profissional de servidoras e servidores comprometidos com o ethos público.[2]

Pode parecer pouco ou distante, mas o simples aperfeiçoamento e conectividade das informações profissionais de agentes públicos no âmbito do governo federal é suficiente para demonstrar que a melhoria do desempenho institucional de pessoas e organizações - objetivo desejável de qualquer reforma administrativa que se preze - depende também de medidas cotidianas de gestão pública que integram a valorização dos servidores com o seu melhor aproveitamento possível por parte da administração.

* Pela Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP) do Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), participaram da elaboração deste artigo: José Celso Cardoso Jr (Secretário de Gestão de Pessoas), Regina Camargos (Secretária-Adjunta), Douglas Silva (Diretor de Carreiras e Desenvolvimento de Pessoas), Antonio Fiuza (Diretor de Soluções Digitais e Informações Gerenciais), Eduardo Almas (Coordenador-Geral de Desenvolvimento de Pessoas), Rogério Meneguim (Coordenador-Geral de Serviços e Sustentação de Sistemas), Andrea Maria Rampani (Administradora), Carolina Sgaraboto (Administradora), Thiago de Souza Alves (Analista do Seguro Social).

Notas

Publicidade

[1] Saiba mais sobre a PNDP em https://www.gov.br/servidor/pt-br/acesso-a-informacao/gestao-de-pessoas/pndp/copy_of_pndp

[2] O resultado dessas ações pode ser acompanhado pela sociedade no Painel de Dados dos Currículos (https://www.gov.br/servidor/pt-br/observatorio-de-pessoal-govbr/painel-de-dados-dos-curriculos), disponível e atualizado mensalmente no Observatório de Pessoal de APF. Saiba mais sobre o Observatório de Pessoal em https://www.gov.br/servidor/pt-br/observatorio-de-pessoal-govbr

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.