PUBLICIDADE

Marina rebate pedido de desculpas de Maurício do Vôlei após ser chamada de ‘marionete do governo’

Ministra do Meio Ambiente foi convocada para audiência na Câmara para explicar ações do governo no combate a queimadas no Pantanal; veja vídeo

Foto do author Gabriel de Sousa
Por Gabriel de Sousa
Atualização:

BRASÍLIA – A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, rebateu um pedido de desculpas do deputado Maurício do Vôlei (PL-MG) que a chamou de “marionete do governo”, em uma audiência na Câmara realizada nesta terça-feira, 21. Maurício disse que era um admirador de Marina, mas que, agora, vê ela faz “o que o governo quer”.

“Eu achava que a senhora realmente defendia o meio ambiente, que a senhora lutava pela nossa fauna e pela nossa flora, até eu perceber como as coisas funcionam. E não é assim, hoje, a gente vê que a senhora é quase uma marionete do governo. A senhora faz o que o governo quer, não só a senhora, todos os ministros”, disse o deputado aliado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Marina Silva foi convocada pelos deputados para explicar queimadas no Pantanal em audiência realizada na Câmara Foto: Tiago Queiroz

PUBLICIDADE

Após protestos de deputados governistas, Maurício pediu desculpas para a ministra. “Se a senhora se ofendeu com a minha palavra de ‘marionete’, eu quis dizer que não só a senhora, mas todos os ministros são manipulados pelo governo. Me desculpo.” Marina rebateu e disse que aceitava o pedido em nome de todos os integrantes do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Pelo que eu entendi, o deputado está querendo se desculpar, não é isso deputado? Por ter me chamado de marionete. Então, Vossa Excelência agora está pedindo desculpa a todos os ministros? Obrigada. Em nome deles, eu agradeço”, respondeu Marina, arrancando risadas de deputados governistas.

Marina disse que queimadas no Pantanal são fruto do orçamento deixado por Bolsonaro

A ministra do Meio Ambiente foi convocada para a audiência desta terça-feira para apresentar as medidas tomadas pela pasta na área ambiental. Ela foi questionada a respeito das recentes queimadas no Pantanal, onde os incêndios, fora de controle, ameaçam refúgios de onças-pintadas. A resposta do governo à crise tem sido criticada pelas falhas de planejamento de prevenção e pela estrutura precária no combate ao fogo.

Na última sexta-feira, 17, o Estadão mostrou que o Ibama tem, em média, só um brigadista para cuidar de cada área equivalente a cerca de 13 mil campos de futebol em todo o País, considerando todos os biomas.

Marina afirmou aos deputados que o orçamento deixado pelo governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) para combater incêndios é insuficiente para atender à explosão de queimadas na região. A ministra também disse que o bioma tem áreas de difícil acesso e que o governo reforçou a presença de brigadas no local.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.