PUBLICIDADE

Novo confirma pré-candidatura de Deltan à Prefeitura de Curitiba

Ex-procurador da Lava Jato teve mandato de deputado federal cassado pelo TSE em maio de 2023; decisão ainda pode afetar inelegibilidade

Foto do author Levy Teles
Por Levy Teles
Atualização:

BRASÍLIA – O Novo confirmou a pré-candidatura do deputado federal cassado Deltan Dallagnol (PR) à Prefeitura de Curitiba. O partido enviou aos principais institutos de pesquisa do Brasil pedindo que ele fosse incluído nos levantamentos. O documento é assinado por Lucas Santos, presidente do diretório da legenda no Paraná.

A confirmação da indicação do ex-procurador da Lava Jato deverá se dar na convenção partidária, a ser realizada no segundo semestre.

Deltan foi eleito deputado federal e teve o mandato cassado pelo TSE Foto: Bruno Spada/Câmara dos Deputados

PUBLICIDADE

Deltan concluiu a mudança do Podemos para o Novo em setembro de 2023 para assumir o cargo de embaixador nacional da legenda. Ele recebe R$ 41 mil pela função.

Como mostrou o Estadão, o Novo teve o maior número de filiações em um único mês no partido desde junho de 2019, logo após a chega do ex-deputado federal. Foram 1.720 novos membros registrados em outubro, um mês após a chegada dele.

Em novembro, ele falou que poderia ser candidato à prefeitura da capital paranaense. “Vamos para a linha de frente dessa batalha junto com a população guerreira da República de Curitiba, que sempre apoiou a Lava Jato”, disse Deltan, em referência à operação que lançou seu nome nacionalmente. “O Novo está em primeiro lugar nas pesquisas e tem excelentes nomes que podem ser lançados.”

Será a segunda tentativa de Deltan na política. Na primeira tentativa, foi eleito o deputado federal mais votado do Paraná, em 2022. Foram 344.917 votos naquele pleito.

A jornada na Câmara, porém, foi curta. Ele foi cassado em maio pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em decisão unânime, e exerceu a função, pela última vez, nos primeiros dias de junho.

Publicidade

A decisão da Corte eleitoral poderá ter efeitos neste ano. Em setembro do ano passado, quando se filiou ao Novo, o ex-deputado foi questionado sobre a perda de seus direitos políticos.

Na ocasião, Deltan Dallagnol disse que, segundo vários juristas, ele não perdeu a capacidade de concorrer, uma vez que somente a candidatura foi anulada.

Uma corrente majoritária de entendimento, porém, o considera inelegível por oito anos. Caberá à Justiça Eleitoral definir sobre a questão no momento de uma eventual tentativa de concorrer.

Curitiba terá um novo prefeito depois de oito anos

Depois de exercer mandatos consecutivos, Rafael Greca (PSD) deixará a Prefeitura de Curitiba. O PSD deverá indicar o vice dele, Eduardo Pimentel, para entrar na disputa com Deltan.

PUBLICIDADE

Nome ainda desconhecido na capital paranaense, Eduardo Pimentel é neto de Paulo Pimentel, ex-governador de Curitiba. Ele também contará com o apoio do governador do Estado, Ratinho Júnior, que é seu copartidário.

Na Câmara, Deltan aliou-se à base de apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e contou com seu apoio. Em outubro, porém, deverá competir a prefeitura com Paulo Eduardo Martins (PL), ex-deputado federal, que ocupou a segunda posição no pleito ao Senado, em 2022, vencido por Sérgio Moro (União Brasil).

O União Brasil deverá lançar o deputado estadual Ney Leprevost, enquanto legendas mais à esquerda, como o PSB, o PDT e o PT indicarão, respectivamente, o ex-vice-prefeito da cidade Luciano Ducci, o deputado estadual Goura Nataraj e a deputada federal Carol Dartora.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.