PUBLICIDADE

Pesquisa Ipec: Lula lidera com 44%; Bolsonaro tem 32%

Ciro Gomes possui 6% das intenções de voto, e Simone Tebet, 2%, aponta levantamento

Foto do author Levy Teles
Por Levy Teles
Atualização:

Com 44% das intenções de voto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a disputa pelo Palácio do Planalto. Ele é seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), com 32%. Os números são da primeira pesquisa eleitoral para presidente feita neste ano pelo IPEC (ex-Ibope).

PUBLICIDADE

Ainda segundo o Ipec, Ciro Gomes (PDT) tem 6% e Simone Tebet (MDB) tem 2%. Vera Lúcia (PSTU) tem 1%. Eymael (DC), Felipe d’Avila (NOVO), Léo Péricles (UP), Pablo Marçal (PROS), Sofia Manzano (PCB) e Soraya Thronicke (União): não pontuaram.

Brancos e nulos somam 8%. Num potencial segundo turno entre Lula e Bolsonaro, o petista lidera com 51% ante 35% do presidente. Brancos e nulos são 9% e 5% não responderam ou não sabem

Lula lidera as pesquisas Foto: Ueslei Marcelino/Reuters, Isac Nóbrega/PR, Adriano Machado/Reuters

Essa é a primeira pesquisa voltada para as eleições presidenciais realizada pelo Ipec neste ano. O último levantamento havia sido feito em dezembro de 2021.

Na última pesquisa do Ipec, em dezembro de 2021, Lula aparecia com 48% dos votos e Bolsonaro com 21%. A pré-campanha ainda registrava com as pré-candidaturas de Sérgio Moro, então no Podemos, e João Doria (PSDB). Por isso, não é possível comparar o levantamento atual com o anterior.

Excluídos os votos brancos e nulos, Lula aparece com 52% dos votos válidos, seguido de Bolsonaro, com 37%, Ciro, com 7%, Tebet, com 2% e Vera, com 1%. O resultado não significa uma vitória de Lula no primeiro turno, pois a margem de erro da pesquisa é de dois pontos.

Lula conquista a maioria da preferência entre aqueles com renda familiar mensal de até 1 salário mínimo (60%) e de jovens entre 16 e 24 anos (52%). 52% dos eleitores que recebem benefício do governo federal também preferem o petista.

Publicidade

Já Bolsonaro vai melhor entre evangélicos (47%) e homens (37%).

Contratada pela TV Globo, a pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 14 de agosto e entrevistou 2.000 eleitores presencialmente. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-03980/2022.. A pesquisa tem dois pontos de margem de erro para cima e para baixo.

O TSE recebeu o registro de 12 candidaturas, mas um dos partidos – o PROS – anunciou ter desistido para apoiar a do PT. Nesta segunda-feira, 15, foi o último dia para o registro de candidatos.

Para o início da campanha, Lula e Bolsonaro escolheram lugares símbolos da trajetória política dos dois: Juiz de Fora (MG) e São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Bolsonaro fará seu primeiro discurso onde sofreu o atentado a faca, em 6 de setembro de 2018. Seu comitê trabalha com a ideia de “renascimento”, tanto do ponto de vista religioso quanto nas pesquisas.

PUBLICIDADE

O presidente chega à cidade às 11 horas e vai se reunir com autoridades religiosas após uma motociata. Depois do discurso no “local exato” da facada, o presidente vai participar de evento na Santa Casa de Misericórdia, onde foi operado. A religiosidade ganha cada vez mais espaço na campanha. Em vídeo para convocar os apoiadores, Bolsonaro se refere à cidade mineira como o lugar onde “renasceu”. O presidente cita o lema “Deus, pátria, família e liberdade”.

Enquanto Bolsonaro visita Juiz de Fora, Lula vai começar a campanha na porta da fábrica da Volkswagen. Outro evento, previsto para uma fábrica na zona sul paulistana, foi cancelado por razões de segurança.

Todas as agendas programadas para Lula são no Sudeste, região onde a campanha tenta ganhar terreno. Além de São Bernardo, ele estará em Minas na quinta-feira e fará ato no Anhangabaú, São Paulo, no sábado.

Publicidade

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, pediu calma na avaliação das pesquisas. “Vamos ter várias. E elas vão refletir o momento da campanha.” Pela manhã, pesquisa BTG/FSB trouxe recuperação de Lula, que passara de 41% para 45% enquanto Bolsonaro se manteve com 34%.

Tebet e Ciro

O candidato do PDT, Ciro Gomes, começará a campanha reunindo-se com moradores de Guaianases, zona leste de São Paulo. Já Simone Tebet (MDB) encontrará representantes do setor cultural, também em São Paulo. O candidato do Novo, Felipe d’Avila, é outro que começará a campanha na cidade. Às 7 horas, ele vai a um evento na zona sul.

À noite, os principais candidatos devem comparecer à posse do ministro Alexandre de Moraes, na presidência do TSE. As assessorias de Lula, de Bolsonaro. Ciro e de Tebet confirmaram a presença deles na solenidade em Brasília. / COLABORARAM BEATRIZ BULLA, EDUARDO GAYER, GUSTAVO PORTO, IANDER PORCELLA, JOÃO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.