PUBLICIDADE

Partido de Bolsonaro, PL usa decisão de Moraes em pedido de cassação de Janones

Partido Liberal embasou pedido contra deputado acusado de ‘rachadinha’ em voto do ministro do STF Alexandre Moraes, de 2021

Foto do author Karina Ferreira
Por Karina Ferreira

O Partido Liberal (PL) usou uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes para embasar o pedido de cassação do mandato do deputado federal André Janones (Avante-MG) por suposta prática de “rachadinha” no gabinete do parlamentar na Câmara dos Deputados, em Brasília. Moraes atua como relator de inquéritos que têm o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e aliados dele na mira e é frequentemente alvo de críticas de bolsonaristas.

Protocolada na última terça-feira, 28, na Mesa Diretora da Câmara, a representação do PL utiliza um acórdão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de 2021, que teve a relatoria de Moraes. O caso julgava a ex-vereadora de São Paulo, Maria Helena Pereira Fontes (PSL), por prática de “rachadinha”.

A representação foi protocolada pelo PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, e utiliza uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes para embasar o pedido de cassação do deputado André Janones (Avante-MG). Foto: WILTON JUNIOR

PUBLICIDADE

Em seu voto no caso, o ministro qualificou “o esquema de rachadinha” como “uma clara e ostensiva modalidade de corrupção”. Outro trecho, onde Moraes define “rachadinha”, é utilizado pelo PL no pedido de cassação, com a afirmação de que “a reprovabilidade quanto aos fatos foi bem analisada” pelo ministro “em contexto rigorosamente similar”.

“No caso do deputado Janones, a colocação do ministro Alexandre de Moraes é de todo pertinente, vez que, categoricamente, o representado diz que irá superfaturar os salários de seus assessores com o objetivo de custear suas dívidas pessoais, mediante desvio de valores”, diz trecho do pedido do partido.

Cefas Luiz e Fabrício Ferreira, ex-assessores de Janones na Câmara, acusam o deputado de cobrar de funcionários de seu gabinete o repasse de parte dos salários recebidos. Cefas Luiz gravou um áudio no dia 5 de fevereiro de 2019, em uma reunião na qual Janones exigia que funcionários do seu gabinete na Câmara o ajudassem a pagar suas despesas pessoais.

A gravação foi revelada pelo Metrópoles e obtida pelo Estadão. De acordo com um trecho, o parlamentar afirma que seu patrimônio foi dilapidado durante campanha eleitoral (de 2016) e diz achar justo que as “pessoas participem da reconstrução disso”.

Em nota, Janones afirmou que suas declarações foram retiradas de contexto e negou a prática de “rachadinha”.

Publicidade

O pedido do PL pode ser enviado ao Conselho de Ética da Casa, que vai deliberar sobre a possível cassação de Janones. Se o conselho aprovar a punição, Janones poderá recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.