PUBLICIDADE

Série de reportagens do Estadão sobre joias de Bolsonaro ganha Prêmio Iree de jornalismo

Tentativa de entrar no País com colares e relógios cravejados de diamantes foi flagrada pela Receita e revelada pelo jornal

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

BRASÍLIA - A série de reportagens do Estadão revelando a operação montada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro para trazer para o País joias que recebeu de presente do regime da Arábia Saudita foi a ganhadora do principal prêmio concedido pelo Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa. É a quarta vez seguida que o Estadão vence o Prêmio IREE, três delas na categoria principal.

Nas edições anteriores, também receberam o prêmio principal as séries de reportagens que revelaram o esquema do gabinete paralelo no Ministério da Educação de Jair Bolsonaro, o que levou a prisão do ministro Milton Ribeiro, e o Orçamento Secreto, que passou a ser proibido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Joias presenteadas a Michelle Bolsonaro que foram apreendidas pela Receita Federal pela tentativa de entrada ilegal no País.  Foto: Foto: Estadão

PUBLICIDADE

A série de reportagens do Estadão assinada pelos repórteres Adriana Fernandes e André Borges mostrou que assessores do então ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que viajara ao Oriente Médio, em outubro de 2021, trouxeram numa mochila caixa com joias cravejadas com diamantes para Bolsonaro e sua mulher Michelle Bolsonaro.

As joias foram apreendidas durante fiscalização da Receita Federal no aeroporto de Guarulhos. Ainda durante o governo Bolsonaro servidores do fisco foram pressionados a liberar os presentes e o próprio presidente da República teria acionado subordinados para tentar resgatar as joias que estavam trancadas em cofre na área da Receita em Guarulhos.

Mais tarde descobriu-se que Bolsonaro havia se apropriado de outras joias que ganharam como presente na qualidade de presidente da República. Os itens de valor deveriam ter sido incorporados ao patrimônio do governo, mas o ex-presidente levou consigo quando deixou o cargo no final de 2022. O caso das joias passou a ser alvo de investigação da Polícia Federal e foi aberto inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Mais um ano em que o trabalho da equipe é reconhecido. O prêmio nos mostra que estamos no caminho certo e que a grande reportagem está no DNA do Estadão”, disse a editora-executiva de política do Estadão, Andreza Matais.

O ex-presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). deixa a Policia Federal em Brasília após prestar depoimento sobre o caso das joias revelado pelo Estadão.  Foto: WILTON JUNIOR / ESTADÂO

Também foram premiadas reportagem da Folha de S.Paulo sobre uso político da Companhia de Desenvolvimento do Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), e do site UOL sobre informações que as farmácias detêm dos seus clientes. Também figuram na lista dos agraciados com menções honrosas a GloboNews por reportagem sobre benefícios distribuídos a funcionários da Câmara Municipal do Rio de Janeiro; a CNN Brasil por divulgação de vídeos do Palácio do Planalto no 8 de janeiro; e O Globo com trabalho sobre assédio sexual na Petrobras.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.