PUBLICIDADE

Zema chama de ‘falação’ proposta de Pacheco para dívida de MG, e senador reage: ‘não fez em 5 anos’

Governador e presidente do Congresso travam debate sobre solução para débito de R$ 165 bilhões que precisa ser negociado junto ao governo Lula

Foto do author Ricardo Corrêa
Por Ricardo Corrêa

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), voltaram a trocar farpas nesta quarta-feira, 6, em meio aos debates sobre a solução para a dívida de R$ 165 bilhões de Minas Gerais com a União. O assunto se tornou arena de disputa política em meio às dificuldades de interlocução do governador com o governo Lula e à intenção de Pacheco de se candidatar ao governo mineiro em 2026.

Pela manhã, em visita a instalações de um sistema de wi-fi de escolas municipais, em Belo Horizonte, Zema cutucou a solução proposta por Pacheco, que inclui a federalização de estatais mineiras, como Cemig, de energia, Copasa, de saneamento, e Codemig, de extração de nióbio, e um novo Refis para Estados com descontos para pagamentos à vista.

Após início das conversas entre Pacheco e o governo para tratar da dívida do Estado, governador de Minas Gerais, Romeu Zema, afiremou que só viu 'falação' até agora. FOTO ALEX SILVA/ESTADAO Foto: Alex Silva/Estadão

PUBLICIDADE

“Toda alternativa é bem-vinda, mas a proposta do presidente do Congresso precisa ser apreciada pelo Ministério da Fazenda, pela Secretaria do Tesouro Nacional, e, até agora, ninguém apreciou. Então, ficou na falação até agora. Não teve nenhuma ação efetiva por parte do governo federal”, disparou o governador de Minas.

Não demorou para que Pacheco reagisse em nota, dizendo que está tentando fazer o que o governador não conseguiu em cinco anos no comando do Estado. Segundo ele, uma conversa com o ministro Fernando Haddad, da Fazenda, será feita nesta quinta-feira, 7.

“As ações possíveis, neste momento, estão sendo feitas. Amanhã, por exemplo, terei reunião com o ministro Fernando Haddad. Mais um passo importante no caminho da solução da dívida. Quero ajudar o governador a resolver o maior problema do governo dele. Mas o governador não pode querer para ontem algo que ele não conseguiu resolver em cinco anos. Há regras, negociações e um caminho para isso. Tudo ao seu tempo”, diz a nota divulgada por Pacheco.

Presidente do Senado, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) tem se reunido com integrantes do governo Lula para apresentar uma proposta para solucionar as dívidas do estado de Minas Gerais. FOTO: Roque de Sá/Agencia Senado  Foto: Roque de Sá/Agencia Senado

Também nesta quarta-feira, 6, Zema informou que o governo do Estado, em conjunto com a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), está pedindo ao Supremo Tribunal Federal (STF) a extensão de prazo para que o governo volte a pagar dívida. A decisão atual obriga a retomada do pagamento das parcelas a partir de 20 de dezembro.

A proposta de Zema apresentada ao Tesouro e à ALMG, e rechaçada por Pacheco, propõe a privatização da Codemig, a proibição de concursos e a concessão de apenas duas recomposições inflacionárias, de 3% cada, nos próximos nove anos. A proposta, porém, enfrenta forte resistência do funcionalismo e do governo federal.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.