PUBLICIDADE

Lacrado, hotel do dono da Bahamas é pichado contra Kassab

Bahamas, de Oscar Maroni também segue lacrado pela Prefeitura; empresário saiu da prisão na noite de terça

PUBLICIDADE

Por Andressa Zanandrea e do Jornal da Tarde
Atualização:

Um dia depois do empresário Oscar Maroni, dono da boate Bahamas e do Oscar's Hotel, sair da prisão, os tapumes de seu hotel serviram de tela para cinco grupos de pichadores no início da madrugada desta quinta-feira, 4. O alvo das pichações: o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM).   O hotel fica ao lado da boate Bahamas, em Moema, na zona sul de São Paulo, teve os tapumes pichados com frases como "Kassab, 199 morreram e você prendeu o dono do Bahamas"; " Kassab, o povo quer emprego!" e "Kassab, você é o vagabundo." A boate e o hotel continuam lacrados pela Prefeitura.   Maroni foi preso em 14 de agosto e responde a processo por favorecimento à prostituição, tráfico interno de mulheres, exploração de prostíbulo e formação de quadrilha. Embora o advogado José Thales Solon de Mello tenha orientado Maroni a evitar manifestações ruidosas que compliquem sua defesa, antes mesmo de deixar a detenção seu cliente já convocava uma entrevista coletiva para comentar sua prisão e explicar as estratégias para enfrentar o Ministério Público Estadual no processo. E escolheu como palco o próprio Bahamas, um dos pivôs da briga do empresário com Kassab e o MP.   "Ele vai falar, mas nada de polêmica. Vai apenas comentar a decisão da Justiça", adiantou o advogado. "Não havia motivos para decretar sua prisão preventiva", avaliou, na quarta.   Para o promotor José Carlos Blat, que abriu o inquérito contra Maroni, "a liberdade provisória não minimiza a gravidade da denúncia". "É um direito dele, conseguiu esse benefício judicialmente e se cometer alguma afronta à ordem pública, às testemunhas, à preservação das provas, o habeas-corpus pode ser cassado. Só depende do comportamento dele."   (Colaborou Rodrigo Pereira, do Estadão.)

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.