PUBLICIDADE

Marcelinho Carioca não foi reconhecido pelos criminosos, diz mulher sequestrada com ex-jogador

Em entrevista ao programa ‘Domingo Espetacular’, da Record, Taís de Oliveira disse que bandidos souberam quem era o atleta aposentado só depois de pesquisarem na internet

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Uma semana depois de sofrer um sequestro junto de Marcelinho Carioca, Taís de Oliveira, 36 anos, amiga do ex-jogador de futebol, contou à Record TV detalhes sobre o crime. Segundo ela, os sequestradores não conheciam Carioca e pesquisaram na internet o nome do atleta aposentado.

PUBLICIDADE

“Eles foram ver quem era o Marcelinho Carioca, que ele era um jogador. Ele foi no banco da frente, e me colocaram no banco de trás. A gente ficou tão tenso, que não sentia vontade de comer. Bebi água o tempo todo. Eu só pensava nas crianças, pensava: ‘Será que eu ia voltar viva?’”, contou Taís, que é mãe de dois meninos.

“A gente saiu intacto! Foi Deus ali, foi Deus que guardou a gente, de verdade”, disse ela, que trabalha na Secretaria de Esportes e Lazer de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. Marcelinho foi titular da pasta até o início do ano.

Taís de Oliveira é amiga de Marcelinho Carioca e foi sequestrada junto a ele na madrugada do dia 17 de dezembro de 2023. Foto: Reprodução/Vídeo: TV Record

Taís e Carioca foram sequestrados na madrugada do dia 17, em frente à casa de Taís, em Itaquaquecetuba, quando o ex-jogador levou para ela ingressos de um show do cantor Thiaguinho. A apresentação seria mais tarde, naquele mesmo dia. Ele havia acabado de sair de um outro show do artista, na noite do dia 16, na Neo Química Arena, em Itaquera, zona leste da capital.

Na entrevista ao programa Domingo Espetacular, Taís também lamentou que algumas pessoas tenham espalhado que ela e Carioca teriam um caso amoroso. O ex-jogador chegou a gravar vídeo no qual dizia ter sido sequestrado pelo marido de Taís, mas depois disse que foi obrigado pelos sequestradores a fazer isso.

Marcelinho Carioca, que apareceu com o olho machucado, deu entrevista em que relatou detalhes do seu sequestro Foto: Reprodução/Brasil Urgente/Band

“Não sei o que passa na cabeça das pessoas, elas ficam julgando, falando um monte de coisa que não sabem, que não conhecem. É muito difícil isso”, disse ela. Taís teria terminado um relacionamento com o pai de seus filhos há poucos meses.

Para a polícia, os criminosos obrigaram Marcelinho a gravar o vídeo para tentar desviar o foco das investigações. Os policiais acreditam ainda que os criminosos renderam Marcelinho atraídos pelo carro de luxo do ex-jogador, uma Mercedes, e sem saber quem ele era.

Publicidade

Os bandidos obrigaram a família de Marcelinho a fazer duas transferências via Pix para eles, nos valores de R$ 30 mil e de R$ 12 mil. Eles teriam pedido uma terceira transferência, que não foi feita. Marcelinho foi libertado após as transferências, horas depois do início do sequestro, e Taís foi libertada sem que a família tivesse de pagar resgate, de acordo com a polícia.

Os investigadores localizaram primeiro o carro do ex-jogador, estacionado em uma rua de Itaquaquecetuba, e depois prenderam cinco suspeitos: dois homens e três mulheres, estas no lugar que foi apontado como o cativeiro onde Marcelinho foi mantido refém.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.