PUBLICIDADE

PM e filha morrem após troca de tiros com supostos assaltantes em estacionamento de farmácia em SP

Policial estava de folga e acompanhado da filha quando teria presenciado um assalto à farmácia; ao intervir, ele e a filha foram baleados pelos supostos criminosos, diz a SSP

Foto do author Giovanna Castro
Por Giovanna Castro
Atualização:

Um policial militar de 46 anos e sua filha, de 19 anos, foram baleados e mortos em uma troca de tiros entre o policial e supostos criminosos em tentativa de assalto a uma farmácia na zona norte de São Paulo. As informações são da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado. O estabelecimento fica na Avenida Nossa Senhora do Loreto, na Vila Medeiros.

O caso teria ocorrido por volta das 5h deste sábado, 24. De acordo com a SSP, o cabo Anderson de Oliveira Valentin, que integrava o efetivo do 7ª BMP/M, estava dentro de seu carro, no estacionamento da farmácia, acompanhado da filha, quando viu o grupo de três criminosos tentarem assaltar a farmácia. Sua mulher, a quem ele e a filha aguardavam, estava dentro do estabelecimento.

Troca de tiros e morte do PM e sua filha teria ocorrido na Avenida Nossa Senhora do Loreto, Vila Medeiros, zona norte de São Paulo, segundo a SSP. Foto: Reprodução/Google Street View

PUBLICIDADE

O policial, que estava de folga mas levava consigo uma arma, decidiu intervir, trocando tiros com os supostos assaltantes. Neste momento, ele e sua filha foram atingidos por disparos.

“Policiais militares foram acionados para prestarem apoio à ocorrência, contudo, no endereço indicado, verificaram que as vítimas já estavam mortas após terem recebido atendimento médico”, diz a SSP.

O trio de suspeitos conseguiu fugir e um veículo, supostamente utilizado por eles, foi localizado pela Polícia Militar posteriormente, em Guarulhos.

A Secretaria de Segurança Pública lamentou a morte do policial e disse que “o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi acionado para assessoramento e o caso está sendo registrado pelo 73º Distrito Policial (Jaçanã)”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.