Quer passear com a família? Cidade perto de SP tem refúgios verdes e ‘casa’ do São Longuinho

Guararema conta com rotas religiosas, passeios de trem, centros artesanais e parques municipais

PUBLICIDADE

Por Ana Lourenço
Atualização:
13 min de leitura

Basta dirigir 80 km sentido nordeste de São Paulo que você chega em Guararema, uma cidade completamente diferente da capital. Pacata, com desconhecidos que ainda te dão bom dia na rua, muitas árvores e muito bem povoada pelos animais da região. É justamente essa atmosfera acolhedora que faz com que qualquer um se encante por Guararema. Para além disso, a cidade toda é muito acessível, com pontos de elevador e opções de rampa em todos os parques.

O turismo por ali tem vários braços: esportivo, religioso, ferroviário... E, por isso, mesmo é vendido como “turismo para família”, uma vez que existem atrações para todas as idades. “A potência de Guararema é justamente ter muitos segmentos turísticos. Quanto mais produtos para oferecer, mais forte a cidade fica. Agora, para nós gestores, isso é também um desafio. Quando você fala em Brotas, por exemplo, automaticamente você já pensa no destino de aventura. Agora, Guararema, como podemos vender com tantos braços?”, reflete o secretário municipal de Cultura e Turismo, Mateus Sartori.

De acordo com ele, hoje o turismo equivale a 20% da economia da cidade e muito vem das festas típicas que ela oferece, incluindo a Festa de São Longuinho (ver mais abaixo) e o evento “Cidade Natal”, que este ano terá sua 13ª edição. “Nessa época recebemos aproximadamente 650 mil pessoas no período de 34 dias. Pensando num município de 30 mil habitantes, como Guararema, o impacto é grande. É quase que a população inteira visitando a cidade todos os dias”, conta ele.

Durante o feriado de carnaval a cidade também entra em festa. São quatro dias de blocos carnavalescos, de 10 a 13 de fevereiro, sempre com concentração saindo do parque de Lazer “Professora Deoclésia de Almeida Mello”, próximo ao Centro Artesanal Dona Nenê. Por conta disso, algumas ruas do centro da cidade podem estar fechadas durante o período da festa, das 14 às 20 horas. Confira mais informações nas redes sociais da Prefeitura.

Mirante Prefeito Gerbásio Marcelino: vista privilegiada da cidade Foto: TABA BENEDICTO/ESTADÃO

Mas fora das datas festivas, a cidade também oferece atrativos, especialmente para aqueles que estão procurando um passeio de bate e volta. Confira abaixo:

Continua após a publicidade

Igreja Nossa Senhora da Escada

De acordo com a lenda, os povos indígenas que moravam na região tinham o costume de enterrar seus entes mortos com um objeto em cada mão: de um lado, a imagem de Nossa Senhora da Conceição e do outro uma escada, que ajudaria a alma do morto a subir aos céus.

Assim nasceu a Nossa Senhora da Escada, que teve sua igreja construída em 1652 pelos colonos e indígenas, mas por má conservação, ela foi demolida. Somente em 1734 os franciscanos ergueram uma nova igreja com arquitetura tipicamente barroca e paredes construídas em taipa de pilão e pau a pique. Em 1941 ela até foi tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat).

Mais de quarenta anos depois, durante uma reforma em 1982, foi encontrada uma escultura de um homem com o escrito “Longuinho” no peito. Aquele era São Longuinho, o santo conhecido por encontrar objetos perdidos com o pagamento dos três pulinhos, que foi recebido como padroeiro da igreja e posicionado no altar. Até hoje essa é a única imagem dele com reconhecimento da Igreja Católica no Brasil.

Igreja Nossa Senhora da Conceição é casa da única imagem de São Longuinho Foto: TABA BENEDICTO/ESTADÃO

Em março, no mês que comemora-se o dia do santo, a Igreja faz uma festa para ele, que conta com atividades como bingo e quermesse e uma vitrine dos milagres, que exibe para os convidados todos os objetos perdidos encontrados por São Longuinho

Outras igrejas que valem a visita na cidade, e fazem parte da rota religiosa, são a Igreja de São Benedito, que fica no centro e foi construída em 1875 pela escrava Maria Florência, e a igreja Nossa Senhora D’ajuda, mais afastada, porém riquíssima nos detalhes arquitetônicos.

Continua após a publicidade

Trem de Guararema

Um dos grandes atrativos da cidade é o passeio de trem que acontece aos fins de semana. A locomotiva a vapor fabricada em 1927, conhecida como “Velha Senhora”, percorre os quase 7 quilômetros entre a estação no centro da cidade e o distrito de Luís Carlos em cerca de meia hora. Ali, em um dos vilarejos mais charmosos que já vi, o trem fica parado por uma hora e termina o ciclo de duas horas com o retorno para o centro.

Trem de Guararema sai do centro da cidade em direção ao vilarejo Luís Carlos Foto: TABA BENEDICTO/ESTADÃO

Os visitantes podem escolher entre a Classe Turística ou Caboose, uma espécie de varanda (ambos R$180 por pessoa) para fazer a viagem. Crianças de até cinco anos não pagam entrada, caso aceitem viajar no colo e não ocupar um espaço e também há opções de meia entrada. Em todo o trajeto é possível adquirir bebidas e souvenires, como camisetas e bonés com imagens do trem.

Agora, para quem quiser uma experiência diferenciada, a melhor opção é uma vaga no “Carro Bar”, onde os passageiros podem saborear o melhor da culinária local e suas bebidas favoritas já incluídas no preço - que varia entre R$ 225 a R$ 237 e tem mínimo de pessoas para reserva. Independente da escolha, é indicado adquirir os ingressos antecipadamente, pois são bem concorridos.

Em Luís Carlos, aproveite para visitar as casinhas coloridas que já foram cenários para séries e novelas, e agora, aos fins de semana servem como restaurantes, cafeterias e lojas de artesanato. Como o tempo do passeio por trem é de apenas uma hora, há quem prefira a opção por carro, seguindo a SP-066, que liga as cidades de Guararema e Mogi das Cruzes. O percurso de carro leva cerca de 15 minutos do centro da cidade.

Rio Paraíba do Sul

Continua após a publicidade

O rio que banha quase toda a cidade passa por três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais e possui mais de 1.100 km de extensão. Em Guararema, ele é a atração de alguns dos pontos turísticos, como o Recanto do Américo, uma praça que mais parece um parque, com pontes e caminhos de madeira para observar a fauna e flora local. O espaço também é conhecido como “Pau d’Alho”, pela árvore que leva esse nome e fica em seu centro. Com quase 300 metros de altura e mais de 200 anos de idade, ela curiosamente exala um cheiro de alho, especialmente quando chove.

Visão da passarela Casimiro Lemes da Silva Foto: TABA BENEDICTO/ESTADÃO

Outra visão privilegiada do rio é na Passarela Casimiro Lemes da Silva, uma ponte de metal imponente que cruza suas águas, assim como o Pontilhão, que tem arquitetura Belga. Além deles, o Parque Ilha Grande conta com trilhas fáceis e pavimentadas para que o visitante aprecie a natureza. Além dos caminhos, o espaço oferece playground para os pequenos e uma calçada da fama com as pegadas dos animais da região - que são facilmente encontrados pelos turistas. Os animais domésticos também são bem-vindos no passeio.

Agora para quem quer uma vista ampla do rio, o lugar certo é o Mirante Prefeito Gerbásio Marcelino. Dali de cima, a 646 metros acima do nível do mar, é possível ver toda a cidade, com nitidez para encontrar os pontos turísticos, com a beleza das montanhas ao fundo. É uma ótima opção para apreciar o pôr-do-sol guaramense ao fim da tarde. Há opções de comidas e bebidas na lanchonete, gelateria e restaurante do local. De final de semana, nove fontes proporcionam um show de água e luzes em movimento para os visitantes.

Trilhas do parque Ilha Grande, em Guararema Foto: TABA BENEDICTO/ESTADÃO

Para junho, está prevista mais uma forma de explorar o rio. De acordo com o secretário de Cultura e Turismo, está sendo construído um píer para que dali saiam expedições e passeios contemplativos dentro de canoas canadenses. Para os moradores, o Sesi em parceria com a prefeitura realiza aulas gratuitas da modalidade e de caiaque polo, esporte que a cidade é reconhecida e sedia diversos campeonatos nacionais.

Centro da cidade

Continua após a publicidade

No coração da cidade, é possível conhecer o Centro Artesanal Dona Nenê, um espaço de 70m² coberto com produtos feito com materiais da região como madeira, bambu e material reciclado, além de peças criativas feita pelos artesãos e artesãs da cidade.

Ali na frente, aos finais de semana, ocorre a feira noturna gastronômica que oferece petiscos e bebidas, mas também hortaliças e legumes, para aproximar os moradores dos agricultores locais. O espaço também é o ponto de encontro de um trenzinho antigo, para as crianças, que circula por Guararema aos domingos e feriados, das 14h às 19h.

Peças de artesanato em madeira, cerâmica e bambu são encontrados no centro Dona Nenê Foto: TABA BENEDICTO/ESTADÃO

Algumas quadras mais para frente fica o Mercado Municipal Juvenal Alves Pereira, que ficou fechado por 20 anos mas foi reaberto em 2022. Agora, ele é 100% ecológico, com reutilização de água e energia solar. Além, claro, de ser espaço para compra e degustação de especiarias típicas como geleias, pães e cachaça artesanal.

Parque Municipal da Pedra Montada

O espaço foi construído no entorno de uma sobreposição de pedras, cada uma medindo cerca de 9 metros de comprimento por dois metros de altura, que dão o nome ao parque. A sua trilha é tranquila, e oferece opção para quem quer ir de escada (e ter uma vista privilegiada da serra de Guararema) e para quem quer ir pela rampa, opção para quem vai de bicicleta. No espaço não é permitido a entrada de animais.

Para quem quiser mais aventura, existe a opção de estender a trilha até a Pedra do Tubarão (formação rochosa que parece com o animal). Diferente do outro caminho, essa trilha de 380 metros é de terra e de dificuldade moderada. O caminho não tem nada de excepcional, somente a pedra ao final e muitos e muitos mosquitos - vale a pena reforçar o repelente antes de subir!

Continua após a publicidade

Atração que leva o nome do Parque Pedra Montada Foto: TABA BENEDICTO/ESTADÃO

Serviço

  • Igreja Nossa Senhora da Escada

Endereço: Praça Salvador Lemes Cardoso – Freguesia da Escada

Funcionamento: De terça-feira a sábado, das 9h às 17h e domingo, das 11h às 17h

  • Parque Ilha Grande

Endereço: Praça Lydia Custódio Dominguez

Continua após a publicidade

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 7 às 18 horas

  • Trem de Guararema

As saídas da estação do centro ocorrem aos sábados às 14h30 e domingos às 10h e às14h30. O retorno é no mesmo lugar, com previsão de duas horas de passeio. R$ 180, sendo R$ 90 a meia. Mais informações: tremdeguararema.com.br

Para o carro-bar, que tem reserva mínima de duas pessoas, o custo é de R$ 225. E no carro-restaurante, com mesa compartilhada, R$ 237. Mais informações aqui.

  • Mirante Prefeito Gerbásio Marcelino

Endereço: Rua Inocêncio de Melo Franco, 335 – Centro

Restaurante: todos os dias, das 11 às 23h

Lanchonete: sábados, domingos e feriados, das 10 às 22h

Gelateria: de quinta à domingo e feriados, das 9 às 19h

Show das fontes: Sexta, sábado, domingo e feriados das 09:00 às 12:00; das 15:00 às 18:00 e das 19:00 às 21:00

  • Centro Artesanal Dona Nenê

Endereço: Parque de Lazer Professora Deoclésia de Almeida Mello - Guararema/SP.

Funcionamento de quarta a sexta, das 12h às 18h. Sábados e domingos, das 11h às 19h e feriados ou dias de eventos, das 10h às 20h.

Feira noturna: sexta-feira, das 17h às 22h

  • Parque Pedra Montada

Endereço: Estrada Municipal da Lagoa Nova, Km 8 – Lagoa Nova

Todos os dias: das 8h às 20h. Porém o restaurante e a lanchonete só abrem aos fins de semana.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.