O que fazer em Brotas? Tem aventura na água, história caipira, cachaça e até estudo do universo

Conhecido pelas várias cachoeiras, rios e atividades de ecoturismo, município no centro do Estado também tem museus, centro de ciências, opções gastronômicas e mais

PUBLICIDADE

Foto do author João Ker
Por João Ker
Atualização:

A cerca de 240 quilômetros de São Paulo e bem no meio do Estado, Brotas completa 30 anos de dedicação ao turismo em 2023. Desde então, a cidade ganhou o título informal (por enquanto) de “capital nacional da aventura”, graças às atividades de rafting que atraem visitantes para os seus muitos rios e cachoeiras.

PUBLICIDADE

Mas as opções de roteiro por lá vão além da adrenalina e incluem também museus, gastronomia, centro de ciências e uma hotelaria de forte integração com a natureza. A reportagem a seguir apresenta um novo destino da série Bate-Volta SP.

“A gente preza muito pelo meio ambiente. Se não tivermos esse cuidado, não temos turista”, afirma Fábio Pontes, secretário municipal de Turismo, acrescentando que a cidade começou também a “investir nos outros produtos” em 2017. “Porque senão fazia frio e o pessoal não vinha, achando que não tinha o que fazer. Brotas é muito mais que isso.”

Um dos poucos atrativos de Brotas capazes de rivalizar com as 20 cachoeiras como motivo de orgulho para a cidade é o cantor de sertanejo Daniel, nascido e ainda morando por lá. Totens de papelão do ídolo estão espalhados pelos principais pontos e estabelecimentos da cidade, e parece que todo mundo na cidade tem um “causo” sobre ele para contar, seja das vezes que o viu o cantor andando de bicicleta pelo centro ou pela escola de balé mantida por sua esposa, a dançarina Aline de Pádua.

Imagens de Daniel e outros sertanejos cobrem as paredes da Casa da Cachaça, em Brotas (SP) Foto: Leo Souza / Estadão

Apesar das várias outras opções, o carro-chefe de Brotas ainda é o rafting e a canoagem pelo Rio Jacaré Pepira, principais produtos dentre as 12 agências de turismo, que incrementam os pacotes com passeios de jipe, tirolesa, arvorismo e trilhas. “Começamos como uma brincadeira, com boias de caminhão dentro do rio e os próprios moradores. Aí viram que as pessoas gostavam de visitar Brotas e descer também”, conta Pontes sobre o início do esporte na cidade.

O investimento deu retorno e, hoje, o turismo é a segunda maior fonte de renda de Brotas, que viu as opções de hospedagem crescerem de apenas duas para 62, e os polos gastronômicos chegarem a mais de 70 nas últimas décadas. Um projeto de lei para batizar definitivamente a cidade como “capital nacional da aventura” foi aprovado este ano pela Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados e para ser oficializado ainda precisa passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e ir a votação em plenário.

Casa da Cachaça

Toda cidade do interior que se preze tem uma pinga para chamar de sua. Na Casa da Cachaça de Brotas, parada obrigatória no centro da cidade, é possível degustar tanto os nove tipos diferentes de aguardente produzida pela equipe, como entender melhor o funcionamento de um alambique, experimentar doces caseiros feitos diariamente no local ou se deliciar por queijos, salames, mel, pimentas, café moído na hora e uma infinidade de produtos orgânicos encontrados por lá.

Publicidade

“A gente sempre produziu cachaça, mas não tinha lugar para vender. Meu irmão costumava levar uns toneizinhos para a beira do rio, até que tivemos a ideia de montar um ponto nosso”, conta Leandro Malagutti, que fundou a Casa da Cachaça com o irmão, Antônio, há 27 anos. É ele quem faz os doces em um forno à lenha nos fundos do local, parte da estrutura original mantida em grandes partes por eles desde que compraram em 2007 a casa onde funcionam até hoje.

Casa da Cachaça, parada obrigatória de quem vai a Brotas (SP) Foto: Leo Souza / Estadão

O Museu da Cachaça funciona em um dos cômodos do casarão, onde as paredes são cobertas por mais de 400 rótulos que datam até o início do século passado. Algumas das garrafas expostas são edições limitadas de rótulos clássicos, como uma 51 Black ou Velho Barreiro Gold, enquanto outras são ainda mais raras, como a “cachaça do Pelé”, com a foto do ícone estampada, ou a Getúlio Vargas, ambas fora de linha há décadas.

Por lá, não deixe também de experimentar também os licores, com sabores que variam dos tradicionais café e milho até o meia de seda (uma delícia doce de leite com leite condensado) e o curau cremoso (leito com milho), este último também vendido em versão de compota. Uma atração à parte é Tom, “o gato de Brotas”, um felino todo preto, muito mais receptivo que outros da sua espécie e com direito até à sua própria página de fãs no Instagram.

Além dos diferentes tipos de aguardente, Casa da Cachaça de Brotas tem uma infinidade de doces, pimentas, queijos e salames de produção própria Foto: Leo Souza / Estadão

Museu Caipira

Atração à parte na Casa da Cachaça, o Museu Caipira conta um pouco da história rural e da vida no interior através de objetos coletados por Leandro e pelo irmão ao longo dos anos, além de doações e presentes recebidos por amigos, clientes e admiradores. Móveis, utensílios domésticos, Latas de refrigerante de décadas passadas, mimeógrafo (a “xerox” manual de antigamente) e um som ambiente que mistura sertanejo com o barulho dos pássaros dão o clima do espaço.

Parte da memorabília rural exposta no Museu Caipira, parte da Casa da Cachaça de Brotas Foto: Leo Souza / Estadão

Centro de Estudos do Universo

PUBLICIDADE

Crianças e adultos de todas as idades têm no Centro de Estudos do Universo (CEU) um programa que mistura diversão e aprendizado para todas as idades. Fundado há mais de 20 anos, o espaço mistura atividades de astrologia e geologia, com observatório, telescópio, planetário, estudo de rochas, cinema ao ar livre, relógio solar, plataforma de lançamento de foguetes caverna artificial e uma réplica de Stonehenge, com um terço do tamanho da estrutura original.

“Estamos sempre trazendo novas oportunidades. Começamos com a astronomia, depois fomos para a geologia, onde trabalhamos a parte de rochas, além do entretenimento voltado para os estudos”, explica Marília Rabello, gestora e parte do conselho do CEU, criado com inspiração no céu da cidade, em 1991.

Réplica de Stonehenge no Centro de Estudos do Universo (CEU) de Brotas Foto: Leo Souza / Estadão

Em julho, as 120 sessões noturnas reservadas para as férias escolares se esgotaram, então é bom checar a disponibilidade de visita antes. Fora da temporada de férias, também é possível agendar passeios escolares e excursões ao espaço.

Publicidade

Rafting

Hoje, Brotas tem 12 agências de turismo que oferecem roteiros de aventura com tirolesa, arvorismo, canoagem, passeios de jipe e a tradicional descida de rafting pelo rio Jacaré Pepira, o principal do município para essa atividade. Os horários de saída são geralmente às 9h30 ou às 14h30, com exceção das excursões noturnas, reservadas com exclusividade às noites de lua cheia (o feriado de Páscoa costuma ser o mais recomendado e procurado para essa modalidade).

O Estadão acompanhou a equipe da agência Território Selvagem em um dos passeios vespertinos, que inclui treinamento prévio com os comandos do bote e terminam com uma dose de pinga com mel para esquentar o corpo depois do mergulho nas águas geladas do rio. Mesmo para quem é iniciante nesse esporte, como é o caso do repórter, a travessia é segura e a adrenalina controlável, até certo ponto.

Descida de rafting pelo Rio Jacaré Pepira é principal atividade do turismo em Brotas Foto: Leo Souza / Estadão

No dia, o maior desafio foi a quantidade de mosquitos e pernilongos que rodeavam os botes e driblavam até a proteção do repelente (que mesmo assim é indispensável). Apesar de serem presença esperada considerando que o local da atividade é um rio, o dia de pouco vento e calor atípico para o inverno (aprox. 30ºC) fez com que o excesso de insetos espantasse até o técnico de TI e escritor Fábio Scofield, de 41 anos, que fazia o passeio pela quinta vez.

“É a primeira vez que vejo tantos assim”, comenta Fábio Scofield, técnico de TI e escritor de 41 anos que participou do passeio com a agência pela quinta vez. Ele foi acompanhado do filho, Thomas Lima, de 11 anos, e do amigo Pedro Teixeira, de 10. Mesmo com frio que sentiram depois de terem mergulhado, as duas crianças mal saíram do rio e já se sentiam prontas para o bis.

Intensidade do passeio de rafting em Brotas depende do nível de água do rio, mas nível de adrenalina é controlável e segue normas de segurança da ABNT Foto: Leo Souza / Estadão

Fábio afirma que “vir a Brotas e não fazer o rafting é o mesmo que não ter visitado a cidade”. De fato, a beleza natural do percurso e a sensação de superar os obstáculos do rio, cujo grau de intensidade varia de acordo com o nível da água no dia, são únicos. Para quem se aventurar pela experiência completa, é bom levar uma muda extra de roupas, calçado, toalha e o combo indispensável de repelente e protetor solar.

Outras sugestões

A forte hotelaria de Brotas tem opções com cara de resort imersivo na Mata Atlântica, como o hotal Areia que canta, que tem uma das nascentes mais bonitas e famosas da cidade. O espaço oferece ao mesmo tempo quem gosta de ter uma relação mais contemplativa com a natureza.

Outro destino é o Brotas Eco Hotel Fazenda, ao lado do CEU, que reúne um complexo de lazer com quadras de tênis, parque aquático, piscinas climatizadas, restaurante de comida caseira com produtos colhidos na propriedade e mais. O espaço é opção certa para famílias que buscam relaxar com ampla variedade de programas.

Publicidade

Serviço

  • Casa da Cachaça (com Museu da Cachaça e Museu Caipira)

Endereço: Av. Padre Barnabé Giron, 221 - Centro, Brotas - SP, 17380-000

Mais informações: https://casadacachacabrotas.com.br/

  • Centro de Estudos do Universo (CEU)

Endereço: Rua Emílio Dalla Déa Filho, s / nº, Gate 4 Bairro - Campos Elíseos, Brotas - SP, 17380-000

Mais informações: https://www.fundacaoceu.org.br/

  • Rafting

Publicidade

Agência Território Selvagem: https://territorioselvagem.com.br/

Outras opções: http://secturbrotas.blogspot.com/p/agencias-e-operadoras.html

  • Hotel Areia que Canta

Endereço: Rodovia Eng. Paulo Nilo Romano (SP 225, Km 124,5, Brotas - SP, 17380-000

Mais informações: https://areiaquecanta.com.br/

  • Brotas Eco Hotel Fazenda

Endereço: Emilio Dalla Dea Filho, 201 - portão 3 - Campos Elíseos, Brotas - SP, 17380-000

Publicidade

Mais informações: https://www.brotasecohotelfazenda.com.br/

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.