Foto do(a) blog

O blog voltado ao cidadão e ao consumidor

Vila Madalena: leitora reclama de dificuldade de locomoção em calçadas do bairro

Prefeitura de São Paulo afirma que irá até o local citado pela munícipe para realizar vistoria

PUBLICIDADE

Foto do author Renata Okumura
Por Renata Okumura

Cláudia Ramos se queixa de calçadas da Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, onde idosos e pessoas com deficiência tem dificuldade para se locomover.

Reclamação de Cláudia Ramos: “Minha queixa é sobre as calçadas da Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo. Cortaram as belas árvores, rebaixaram as guias e construíram rampas para facilitar a entrada dos carros, impossibilitando idosos e pessoas com deficiências de caminharem pelas calçadas. Existem fiscais que ameaçam multar quem coloca plantas e flores para humanizar os passeios, mas liberam as rampas. Vejo isso como uma falta de legislação que obrigue a respeitar os idosos, as pessoas com deficiência e pessoas com limitações (necessidades especiais). Essa dificuldade de locomoção ocorre em todo o bairro, mas especificamente na Rua Inácio Pereira da Rocha no trecho entre a Rua Simão Álvares e a Rua Mourato Coelho, onde temos guias rebaixadas e calçadas inclinadas para favorecer os automóveis, prejudicando a acessibilidade dos pedestres com limitações.”

Leitora reclama de dificuldade de locomoção em calçadas do bairro da Vila Madalena. Foto: Pixabay

Resposta da Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB): “A Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB), por meio da Subprefeitura Pinheiros, informa que uma equipe vai nesta quinta-feira, 24, vistoriar a Rua Inácio Pereira da Rocha no trecho entre as Ruas Simão Álvares e Mourato Coelho, para checar as possíveis irregularidades. Se contatadas, os responsáveis pelas calçadas serão autuados para execução dos reparos nos termos da Lei 15.442/2011 e em seu decreto regulamentador 59.671/2020, para que adequem as calçadas de modo a proporcionar a circulação livre dos pedestres, em até 30 dias. Após o prazo concedido, a fiscalização retorna ao local para uma nova vistoria. Caso a irregularidade não tenha sido sanada, serão aplicadas multas no valor de R$ 579,84 por metro irregular e reaplicadas a cada 60 dias até a regularização.”

Envie suas reclamações

Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.