PUBLICIDADE

Vodca em excesso causou morte de estudante em SP

'Rapaz que morreu bebeu pelo menos 25 copinhos plásticos de vodca', diz delegado; dois organizadores da festa foram presos

Por Sandro Villar
Atualização:

Atualizado às 17h30h.

PUBLICIDADE

Vodca em excesso causou a morte do estudante Humberto Moura Fonseca, de 23 anos, e deixou outros seis universitários em estado de coma em Bauru, no interior de São Paulo. "O rapaz que morreu bebeu pelo menos 25 copinhos plásticos de vodca e passou mal. O campeão da competição tomou 30 copinhos e está em estado grave", explicou o delegado Mário Henrique de Oliveira Ramos, de 50 anos, da Central de Polícia Judiciária. O corpo de Humberto foi levado neste domingo para Passos, em Minas Gerais, onde ele morava.

Além de outras bebidas, como cerveja e cachaça servidas à vontade, havia um "torneio" específico para escolher os campeões de consumo de vodca. "Eles bebiam e quem não parava em pé desistia ou continuava", contou o policial, lembrando que foi servido chá de Boldo "aos que estavam passando mal". "Não havia qualquer estrutura para socorrer as vítimas", afirmou.

O mineiro Humberto Moura Fonseca fazia engenharia elétrica na Unesp de Bauru e morreu após ingerir 25 doses de vodca em festa universitária Foto: Arquivo Pessoal

Dois alunos que tinha sido presos em flagrante já foram soltos. "Eles são de duas repúblicas envolvidas na promoção da festa. Nós enviamos ao juiz o pedido de prisão em flagrante por homicídio com dolo eventual", explicou o delegado. O advogado deles conseguiu a liberação na Justiça. Ambos irão responder ao processo em liberdade e também responderão pelo estado das outras vítimas. A polícia não divulgou os nomes dos suspeitos.

De acordo com o delegado, pelo menos dois mil jovens estavam na festa. "Os preços dos convites variavam e chegavam a até R$ 100, com direito de consumir bebida à vontade", completou.

 

Estado grave. Os estudantes Juliana Tibúrcio Gomes, de 19 anos, Gabriela Alves Correa, de 23, e Matheus Pierri Carvalho, cuja idade não foi divulgada, continuam internados em estado grave. Eles estão inconscientes. Juliana e Matheus estão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Unimed. Já Gabriela está na UTI do Hospital Estadual. 

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.