Temporal com rajadas de vento de mais de 100 km/h é recorde em SP; veja medição por bairro

Ventania derrubou centenas de árvores, afetando a rede elétrica; 1 milhão de endereços estão sem luz na cidade

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

Os ventos superiores a 100 km/h durante o temporal de sexta-feira, 3, foram os maiores já registrados pelo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo desde 1995, quando esses dados começaram a ser computados na capital. Às 16h15, foram registradas no aeroporto de Congonhas, na zona sul, rajadas de vento de 103,7 km/h.

A força dos ventos derrubou centenas de árvores, afetando a rede elétrica. Ainda neste sábado, cerca de 1 milhão de endereços estão sem luz na cidade de São Paulo de um total de 1,4 milhão de atingidos na capital.

Queda de árvores e galhos na rede elétrica interrompeu o fornecimento de energia para milhares de clientes em São Paulo Foto: Alexandre Calais/Estadão

Veja quanto ventou na sexta-feira, de acordo com o CGE

  1. Aeroporto Congonhas - 103,7km/h às 16h15
  2. Estação Meteorológica Santana/Tucuruvi - 94,1km/h às 16h30
  3. Estação Meteorológica Campo Limpo - 71,7km/h às 16h10
  4. Aeroporto de Guarulhos - 68,6km/h às 16h40
  5. Estação Meteorológica Capela do Socorro/Sub - 52,1km/h às 16h10
  6. Estação Meteorológica Vila Prudente - 49,4km/h às 16h30
  7. Estação Meteorológica Vila Mariana - 48,1km/h às 16h20
  8. Estação Meteorológica M’boi Mirim - 48,1km/h às 16h10
  9. Estação Meteorológica Itaim Paulista - 44,6km/h às 16h40
  10. Estação Meteorológica São Mateus - 40,6km/h às 16h30

PUBLICIDADE

O prefeito Ricardo Nunes (MDB) destacou que os ventos superiores a 100 km/h chegaram à maior velocidade já registrada pelo CGE. “Foi uma situação excepcional. Muito fora do contexto”, disse.

O prefeito também salientou as cerca de 1,4 mil ocorrências de quedas de árvore. Em julho, por exemplo, em outro evento extremo após a passagem de um ciclone pela região sul, cerca de 300 chamados foram abertos. Nunes justificou que as quedas de árvore exigem desligamentos temporários de energia para a segurança das equipe envolvidas.

O prefeito afirmou que cerca de 1,4 mil pessoas trabalham na dinâmica de corte de árvores e outras 1,9 mil na limpeza. No Parque do Ibirapuera, 128 árvores caíram, o que motivou o fechamento do espaço neste sábado.

A Enel anunciou neste sábado, 4, que o fornecimento de energia em São Paulo será majoritariamente restabelecido até terça-feira, 7. Há relatos de imóveis sem luz há mais de 24 horas. Os impactos são maiores especialmente nas zonas sul e oeste, em bairros como Morumbi, City América, Paraíso, Rio Pequeno, Santo Amaro, Vila Romana, Campo Belo e Butantã, dentre outros.

Publicidade

A Enel se comprometeu a garantir o fornecimento de energia em todas as escolas que aplicarão as provas do Enem neste domingo, 5. A concessionária identificou que 84 pontos de aplicação do exame estavam com falta de luz. Em caso do fornecimento não estar normalizado, irá instalar um gerador no local.

As fortes chuvas deixaram ao menos seis pessoas mortas no Estado, das quais duas na capital, na zona leste. Mais de 40 municípios tiveram ocorrências por queda de árvores.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.