PUBLICIDADE

Assassinato de Brent Sikkema pode ter sido motivado por interesse financeiro, diz delegado

Alexandre Herdy, que investiga o caso, deu novos detalhes em entrevista ao ‘Fantástico’

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Brent G. Sikkema, dono de uma famosa galeria de arte em Nova York, foi encontrado morto em seu apartamento na última segunda-feira, 15. O suspeito de tê-lo assassinado foi preso na quinta-feira, 18, em Minas Gerais. Em entrevista ao Fantástico, da Globo, exibida neste domingo, 21, Alexandre Herdy, delegado da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, deu mais detalhes sobre a investigação do crime.

Brent Sikkema foi encontrado morto em seu apartamento no Rio de Janeiro. Foto: @brentsikkema via Instagram

PUBLICIDADE

“A vítima era uma pessoa de muito bom relacionamento, querida por todos. Desconhecem qualquer tipo de inimizade que a vítima pudesse manter aqui no Rio de Janeiro, ou até fora do País. Esse é mais um fator que nos leva a crer que, de fato, o crime foi motivado por questões financeiras, focadas no interesse do Alejandro em subtrair os bens que ele tinha conhecimento que a vítima mantinha”, relatou.

Sobre o local em que o suspeito, Alejandro Triana Prevez, foi encontrado (um posto de gasolina entre as cidades de Uberaba e Uberlândia), explicou: “Ele pretendia subir por Minas Gerais até chegar na fronteira do País e cruzar para a Bolívia”.

O delegado também destacou que câmeras de segurança da rua em que o crime ocorreu mostraram a placa do carro do suspeito. “Permitiram, a partir daí, diligências que chegaram até o Estado de São Paulo, no sentido de localizar o veículo e identificar o autor do fato”.

Sobre a morte de Brent Sikkema, Herdy detalhou: “Ele sofreu 18 perfurações, em especial, preponderantemente na região da face e tórax. Ao que tudo indica, o Brent foi morto dormindo”.

Mais cedo neste domingo, 21, o Estadão entrou em contato com a assessoria de comunicação da Polícia Civil do Rio de Janeiro a respeito do caso, e recebeu a seguinte resposta:

“A assessoria de comunicação não tem acesso a conteúdo de depoimentos. O autor foi preso e a investigação continua pela equipe da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) para esclarecer a motivação do crime”.

Publicidade

O que se sabe sobre a morte de Brent Sikkema:

  • Galerista foi morto com arma branca

Brent foi encontrado morto na segunda, 15 de janeiro, com sinais de perfurações.

  • Suspeito foi preso em Minas Gerais

Segundo informações da Polícia Civil do Rio, o homem foi localizado em um posto de gasolina entre as cidades de Uberaba e Uberlândia, em Minas Gerais. A identidade do suspeito não foi divulgada

PUBLICIDADE

Depois do crime, o suspeito fugiu para São Paulo. Agentes da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), com o apoio da PRF-MG e da Polícia Civil de São Paulo, cumpriram um mandado de prisão temporária.

O homem tem 30 anos e é cubano, mas morava no Brasil. Ele foi detido com $ 3 mil dólares e confessou à Polícia que estava se dirigindo ao Mato Grosso para fugir do país.

  • Crime está sendo investigado pela Polícia como latrocínio

Publicidade

Ainda de acordo com a Polícia Civil do Rio, a principal linha de investigação é de que Brent foi vítima de um latrocínio – roubo seguido de morte.

  • Um vídeo das câmeras de segurança mostrou suspeito saindo da casa da vítima

Um vídeo captado pelas câmeras de segurança da residência do galerista Brent G. Sikkema no Rio de Janeiro, mostra o homem estacionando o carro em frente à casa de Brent. Ele entra na residência sem maiores dificuldades. Segundo o Hora 1, o suspeito entra na casa às 3h43 da madrugada de domingo, 14. Às 3h57, ele deixa a casa. Ele tira um par de luvas antes de entrar no veículo novamente.

Galerista Brent Sikkema  Foto: Sikkema Jenkins & Co/Divulgação
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.