Foto do(a) blog

De antena ligada nas HQs, cinema-pipoca, RPG e afins

Omar Sy nas trincheiras do Filmelier

PUBLICIDADE

Por Rodrigo Fonseca
Atualização:
Bakary Diallo (Omar Sy) e seu amado filho, Thierno Diallo (Alassane Diong) se esforçam para sairem vivos da I Guerra em «Herói de Sangue», de Mathieu Vadepied Fotos de @MARIE-CLÉMENCE DAVID/LIGHT MOTIV  

Rodrigo Fonseca Tem uma penca de filmes bons (bem bons), inéditos em circuito, bem distribuídos pela grade do Festival Filmelier no Cinema, que começou na quarta, reunindo atrações das distribuidoras Synapse, Imovision, A2 Filmes, Mares Filmes, BF e Pandora, como o esperado "A Sindicalista", com Isabelle Huppert. Destaque, entre as boas o drama "Sem Ursos", do diretor iraniano Jafar Panahi, perseguido pelo governo de seu país por protestar contra seu regime conservador. Outro destaque é a comédia nacional "Barraco de Família", estrelada por Cacau Protásio. Mas nada se compara a "Herói de Sangue" ("Tirailleurs"), com Omar Sy. Trata-se do primeiro blockbuster da França em 2023. Desde sua estreia, em 4 de janeiro, o longa filmado por Mathieu Vadepied - com foco na presença (forçada) de muçulmanos senegaleses na I Guerra Mundial, nas forças armadas francesas - foi prestigiado por 1.71.645 pagantes em Paris, Nice, Lyon, Marselha e arredores. No dia 21 (o feriadão desta sexta) e no dia 23, a produção terá uma sessão diária no Rio, no Kinoplex Fashion Mall, e nos dias 26 e 29 de abril, além de 3 de maio, ele poderá ser visto no Kinoplex Leblon Globoplay. É uma prévia de sua estreia nacional. Exibido na abertura da mostra Un Certain Regard do Festival de Cannes de 2022, o filme de Vadepied se concentra nas trincheiras do leste francês, em 1917, após um prólogo no Senegal. É lá, numa pequena aldeia, que vive o agricultor Bakary Diallo (Sy), cuja paz é fraturada depois que o exército de seus colonizadores invade seu território à cata de jovens para se tornarem recrutas nos fronts europeus. Um dos adolescentes sequestrados pelas tropas da França é o filho de Bakary, Thierno (Alassane Diong). Para não deixa-lo em perigo, Bakary se oferece como voluntário ao exército e tenta se aproximar do rapaz como pode, sob os auspícios do tenente Chambreau (Jonas Bloquet). Fortíssima, a adesão de pagantes a "Herói de Sangue" alimenta as apostas da Unifrance (órgão governamental responsável por cuidar do audiovisual de sua pátria) na expansão internacional de seus longas de tom pop ao longo de 2023. Parte da carteira de potenciais blockbusters da pátria de Truffaut foi divulgada pela instituição durante o fórum promocional Rendez-Vous Avec Le Cinéma Français, de 14 a 17 de janeiro, mesmo período em que o longa protagonizado por Sy brilhava em circuito. Os próximos trabalhos do ator são "The Book of Clarence", de Jeymes Samuel, e "Shadow Force", de Joe Carnaham. O circuito do Festival Filmelier - que acontece até 10 de maio - é formado por salas exibidoras localizadas em 24 cidades do país: São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, São José dos Campos, Rio de Janeiro, Niterói, Belo Horizonte, Brasília, Goiânia, Palmas, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Caxias do Sul, Salvador, Fortaleza, São Luís, João Pessoa, Recife, Teresina, Natal, Aracajú e Manaus. Salas independentes, como Petra Belas Artes e Reserva Cultural, e telas de grandes multiplex, como Cinemark, Kinoplex e Cinépolis, recebem os 20 filmes inéditos selecionados.

p.s.: No próximo dia 26, o canal Curta! exibe o comovente "Manhã de Domingo", de Bruno Ribeiro, em sua grade, às 22h30, o filme ganhou o Prêmio do Júri da Berlinale Shorts.