PUBLICIDADE

Vai à exposição da Mônica na Casa das Rosas? Veja dicas para esticar o passeio na região da Paulista

A mostra ‘Sempre Fui Forte’, que chega ao fim na terça-feira, 20, já recebeu quase 100 mil visitantes

Foto do author Redação
Por Redação

Se alguém tinha alguma dúvida de que a Mônica é a personagem brasileira mais querida do público, a exposição Sempre Fui Forte, em cartaz até este fim de semana na Casa das Rosas, esclareceu essa questão de uma vez por todas.

As esculturas de Mônica e Cebolinha no jardim da Casa das Rosas Foto: Mauricio de Sousa Produções

PUBLICIDADE

Realizada para comemorar os 60 anos da personagem criada pelo desenhista Maurício de Sousa, a mostra recebeu quase 100 mil visitantes desde 20 de dezembro, data de sua abertura. Até a próxima terça-feira, dia 20, é possível visitar a exposição, mas só quem reservou previamente o ingresso.

Sempre Fui Forte, que tem curadoria de Jacqueline Mouradian e, entre seus realizadores, a Mauricio de Sousa Produções, traz uma panorama do percurso que transformou a Mônica em uma das grandes figuras dos quadrinhos.

Dividida em 12 salas, a exposição traz as primeiras tirinha da personagem publicada, fotos históricas e objetos representativos da Mônica, como o coelho Sansão. Além disso, espaços interativos possibilitam as crianças acessar o universo de Maurício de Sousa por meio de desenhos para colorir e oficinas de artes. Uma das surpresas são as obras inéditas do desenhista as quais os visitantes terão a oportunidade de ver em primeira mão.

Objetos que marcam a trajetória dos 60 anos da personagem Mônica na exposição 'Sempre Fui Forte' Foto: Mauricio de Sousa Produções

Tudo isso em um dos principais museus da cidade, localizado na avenida Paulista. O prédio que abriga a Casa das Rosas foi construído em 1935 pelo escritório do arquiteto Ramos de Azevedo.

O casarão, de 1.500 metros quadrados, com dois andares além do porão e do sótão, tem 30 cômodos. A arquitetura, embora lembre o neoclassicismo, tem como característica o ecletismo dos imóveis dos anos 1930.

A fachada da Casa das Rosas, uma casarão em plena Avenida Paulista Foto: Tava Benecito/Estadão

Recentemente, o museu passou por uma ampla reforma. Tornou-se mais acessível. O piso de mármore e a pintura do salão principal foram restaurados. No amplo jardim, as protagonistas são justamente as rosas.

Publicidade

Por isso, mesmo que você não tenha ingresso para os últimos dias da exposição Sempre Fui Forte - não há como comprar no local - vale a pena visitar o prédio e o jardim da Casa das Rosas.

Serviço

Sempre Fui Forte

Museu Casa das Rosas - Av. Paulista, 37, Metrô Brigadeiro

De 3ª a dom., das 10h às 17h30

Até 20/2

Ingressos esgotados

Vai esticar o passeio? Veja outras opções de lazer e gastronomia na região da Casa das Rosas

Para comer

Achapa

Publicidade

Um dos sanduíches servidos no Achapa Foto: Reprodução/ Instagram @achapahamburgers

A lanchonete inaugurada em 1967 tem desde hambúrgueres mais tradicionais, como o Cheese salada (R$ 39,50), até os chamados fitburguers, criação própria, como Monsterburguer (R$ 46), com hamburger, queijo derretido, rodelas de tomate, folhas de alface e maionese envoltos em folhas de acelga. Há ainda opções veganas e vegetarianas, como House Not Burger (R$ 61), que leva queijo vegano, cebola grelhada, com folhas de alface romana e tomate.

Al. Santos, 24, Paulista. Dom. a 5ª, 9h às 0h; 6ª a sáb., 9h às 1h.

Halim

Inaugurado em 1973, o restaurante árabe tem em seu cardápio pratos tradicionais como a Babaganuche, a pasta feita à base de beringela e gergelim, e porções de Falafel, os bolinhos fritos de fava e grão de bico acompanho de molho à base de gergelim. Entre os doces, as opções são a Beklawa, massa folhada com recheio de nozes, e o Malabie, creme com almíscar e água de flor de laranjeira, coberto com geleia de damasco.

R. Dr. Rafael De Barros, 56, Paraíso. 2ª a sáb., 11h às 23h. Dom., 11h às 16h.

Café Terraço

O bolo de coco do Café Expresso, no 17º andar do Sesc Avenida Paulista Foto: Carol V

No 17º do Sesc Avenida Paulista, pertinho da Casa das Rosas, funciona o Café Terraço - os cafés e comedorias das unidades do Sesc são sempre uma boa pedida. Nele, em um ambiente que convida ao compartilhamento, há gostosas opções, como o suco de laranja batido com polpa de fruta (R$ 5), a tostata de muçarela de búfala (R$ 12), o cuzcuz de vegetais (R$ 4,50) e o bolo gelado de coco (R$ 5).

Publicidade

Avenida Paulista, 119, Bela Vista. 3ª a 6ª, 10h às 21h30. Sáb. e dom., 10h às 18h30

Para visitar

Mirante do Sesc

É preciso agendar com antecedência a subida no mirante do Sesc Avenida Paulista Foto: Taba Benedicto/Estadão

Muito disputado, o mirante localizado no 17º andar do prédio do Sesc Avenida Paulista oferece uma vista privilegiada da avenida. Dele, é possível observar a rotina de carros e pedestres, além de contemplar outros pontos conhecidos de São Paulo. A visita, que é acessível para pessoas com necessidades especiais, dura 30 minutos e precisa ser agendada.

Os ingressos são disponibilizados sempre às sextas, às 12h, via aplicativo Credencial Sesc SP ou pelo Portal Sesc SP. Dica: eles se esgotam rapidamente, no entanto, é possível encontrar ingressos remanescentes para o mesmo dia da visita, que voltam ao site por desistências.

Japan House

Vista externa do Japan House, na Avenida Paulista Foto: Felipe Rau / Estadão

Espaço de difusão dos elementos da genuína cultura japonesa, a Japan House tem em cartaz, atualmente, a exposição Convivendo com robôs, que apresenta 11 robôs em quatro categorias: colegas de trabalho, companheiros, comunicativos e os que ajudam os humanos. Entre eles, estão Pepper, um dos primeiros robôs humanoides capazes de expressar emoções, e o Necomimi, um dispositivo que utiliza as ondas cerebrais para expressar sentimentos.

Avenida Paulista, 52, Bela Vista. 3ª a 6ª, 10h/18h; sáb., 9h/19h; dom. e fer., 9h/18h

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.