Banco Central: servidores aprovam continuidade da operação-padrão na semana que vem

Mobilização, iniciada na última segunda, já atrasou lançamentos de novas funcionalidades do Pix e a publicação de relatórios

PUBLICIDADE

Foto do author Thaís Barcellos
Por Thaís Barcellos

BRASÍLIA - Os servidores do Banco Central vão continuar em operação-padrão na semana que vem, conforme votação favorável de 95% dos 1 mil funcionários da autarquia que participaram da assembleia para discutir o assunto nesta quinta-feira, 6. A informação é do presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do BC (Sinal), Fábio Faiad, que acrescentou que a mobilização será reavaliada a cada semana. Ao todo, o corpo técnico do BC tem cerca de 3.300 servidores.

Os servidores do Banco Central vão continuar em operação-padrão na semana que vem, conforme votação favorável de 95% dos 1 mil funcionários da autarquia  Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

PUBLICIDADE

Na prática, a operação-padrão significa um ritmo mais lento de realização das atividades dos servidores, além de paralisações diárias de 2 horas. A mobilização já atrasou lançamentos de novas funcionalidades do Pix, como o débito automático, e a publicação de dados, como o relatório da poupança.

A operação-padrão foi iniciada na última segunda-feira, 3. A mobilização tem se intensificado diante da falta de avanço nas negociações com o governo federal sobre pautas dos servidores da autarquia.

O corpo técnico do BC avalia que enfrenta assimetrias em relação a outras carreiras da elite do funcionalismo público, como os servidores da Receita Federal, que terão a regulamentação de um bônus de produtividade - algo também demandado pelos funcionários da autoridade monetária.

Os servidores do BC também têm reclamado de encolhimento do órgão nos últimos anos. O último concurso foi em 2013, mas, mesmo assim, a categoria não foi contemplada com a primeira tranche de concursos anunciada pelo Ministério da Gestão recentemente.

No ano passado, os funcionários da autoridade monetária ficaram cerca de três meses em greve por reajuste salarial e reestruturação de carreira, impactando diversas publicações e serviços do órgão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.