Publicidade

Desenrola Brasil: dívidas renegociadas no programa somam R$ 35,6 bilhões; veja como participar

Programa, que está em sua reta final, continua com negociações abertas para a faixa 1, destinada a pessoas com renda de até dois salários mínimos ou inscritas no CadÚnico

Foto do author Redação
Por Redação

A cerca de 40 dias do fim do prazo, o Desenrola Brasil renegociou R$ 35,6 bilhões em dívidas, divulgou na segunda-feira, 20, o Ministério da Fazenda. Ao todo, 12 milhões de brasileiros refinanciaram 17 milhões de débitos, que foram retirados de cadastros negativos, reparcelados ou quitados à vista.

Os dados são de até o dia 18 de fevereiro. As negociações continuam abertas para a faixa 1, destinada a pessoas com renda de até dois salários mínimos ou inscritas no Cadastro Único para Programa Sociais (CadÚnico) do governo federal e a dívidas de até R$ 20 mil.

Em sua reta final, Desenrola Brasil já renegociou R$ 35,6 bilhões em dívidas Foto: Joédson Alves/Agência Brasil

PUBLICIDADE

Segundo o Ministério da Fazenda, apenas na faixa 1, 1,6 milhão de pessoas renegociaram R$ 9 bilhões em débitos. As dívidas para essa categoria caíram para R$ 1,2 bilhão após a aplicação do desconto médio de 87% pelo programa Desenrola.

Do total de R$ 1,2 bilhão em dívidas remanescentes, R$ 222,8 milhões foram quitados à vista e R$ 977,2 milhões foram reparcelados. Ao todo, as renegociações na faixa 1 envolveram 3,57 milhões de contratos de serviços financeiros, eletricidade, comércio varejista, educação, telecomunicações, saneamento, empresas e demais setores.

Em relação à divisão por Estados, São Paulo tem o maior volume de renegociações na faixa 1. Desde outubro do ano passado, quando entraram em vigor os refinanciamentos nessa faixa, 400 mil pessoas no estado renegociaram R$ 2,3 bilhões, que se transformaram em R$ 305 milhões.

O Rio de Janeiro é o segundo Estado com mais negociações na faixa 1, com 181 mil pessoas renegociando R$ 1 bilhão, que se transformaram em R$ 125 milhões. Em terceiro, está Minas Gerais, com 135 mil pessoas beneficiadas e R$ 781 milhões negociados, que foram reduzidos para R$ 111 milhões.

Em relação aos municípios, 30 cidades respondem por 38% das negociações na faixa 1, o equivalente a 614 mil pessoas que viram a dívida cair para R$ 468 milhões após os descontos.

Publicidade

A capital São Paulo apresentou o maior volume negociado, R$ 100 milhões, e 130 mil pessoas. Em seguida aparecem Rio de Janeiro, com R$ 52 milhões e 73 mil pessoas; Brasília, R$ 31 milhões e 39 mil pessoas; Manaus, com R$ 28 milhões e 30 mil pessoas, e Fortaleza, R$ 24 milhões e 34 mil pessoas.

Mudanças

Na quinta-feira, 15, o Desenrola Brasil passou a ser acessado também por meio do site da Serasa Limpa Nome. Com a integração entre as plataformas, os usuários logados na plataforma da Serasa já conseguem ser redirecionados para o site do Desenrola, onde é possível consultar as dívidas e fazer os pagamentos nas condições do programa, sem necessidade de um outro login.

Desde o dia 29 de janeiro, as pessoas com perfil bronze no Portal Gov.br podem parcelar as dívidas no Desenrola. Antes, quem tinha o conta desse nível, que tem menos segurança, podia apenas quitar o valor negociado à vista. Com a mudança, a proporção de usuários com login nível bronze subiu de 19% para 40% das negociações diárias.

Veja como participar

Para acessar a plataforma de renegociação, disponível neste link, o consumidor precisa ter cadastro no Portal Gov.br e estar com os dados cadastrais atualizados.

PUBLICIDADE

Dentro da plataforma, em “Minhas dívidas”, estarão todas as dívidas que fazem parte do programa. Lá, o devedor encontrará as opções de renegociação com as opções de pagamento e descontos já estabelecidos. É possível selecionar mais de uma dívida de uma só vez.

Depois, o devedor pode escolher o banco do financiamento e a data de vencimento da primeira parcela ou pagamento à vista. Um simulador faz a comparação para a escolha da melhor proposta. Após confirmar os dados, as informações da proposta serão enviadas para o banco para análise.

A instituição financeira poderá entrar em contato por telefone, SMS, e-mail ou WhatsApp e aprovação ficará disponível na plataforma para prosseguimento da renegociação. Após o banco aprovar, o devedor poderá escolher a forma de pagamento e assinar o contrato em até 10 minutos./COM AGÊNCIA BRASIL

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.