Publicidade

Recuam vendas totais de veículos em setembro

Por WLADIMIR D'ANDRADE
Atualização:

As vendas totais de veículos em setembro - que incluem emplacamentos de automóveis leves, caminhões, ônibus, motos, implementos rodoviários e outros - recuaram 27,67% na comparação com o mês de agosto, informou nesta segunda-feira (1) a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Foram 420.142 unidades comercializadas em setembro. Em relação ao mesmo mês de 2011, as vendas de setembro último caíram 16,68%.Na comparação entre os acumulados dos nove primeiros meses de 2012 com o mesmo período de 2011, as vendas totais de veículos apresentaram queda de 1,86%. Foram 4.184.862 veículos licenciados de janeiro a setembro deste ano ante 4.264.222 verificados no mesmo período de 2011.Apenas em relação a automóveis e comerciais leves, as concessionárias do País venderam 277.614 veículos em setembro, o que representa uma queda de 31,54% sobre agosto, mês que foi batido recorde histórico de vendas. Por conta desse pico, justificado pela corrida do consumidor às lojas para aproveitar o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido para automóveis - benefício que no final de agosto foi prorrogado até 31 de outubro -, a queda nas vendas em setembro já era esperada por consultores, entidades e empresas do setor.Em setembro, segundo a Fenabrave, foram vendidos 8.466 caminhões, uma queda de 25,50% sobre agosto e de 43,33% ante o mesmo mês de 2011. No caso dos ônibus, o recuo foi de 36,79% sobre agosto e de 35,05% sobre setembro do ano passado. Foram 2.038 ônibus emplacados em setembro. As concessionárias também registraram diminuição nas vendas de motos em setembro. Em comparação a agosto, a queda foi de 18,04% e sobre setembro de 2011 o recuo atingiu 33,94%. Ao todo foram vendidas 115.273 motos no mês passado, de acordo com dados da Fenabrave.Sobre implementos rodoviários, a entidade registrou 3.295 unidades comercializadas no mês, o que representa um recuo de 31,24% sobre agosto e de 36,83% ante setembro do ano passado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.