PUBLICIDADE

Publicidade

Relator na Câmara critica fatiamento da reforma tributária: ‘Precisamos entregar neste ano’

Aguinaldo Ribeiro afirmou preferir ‘promulgação mais rápida’ do texto se houver condição técnica; para ele, é possível cumprir prazo

Foto do author Eduardo Laguna
Foto do author Renata Pedini
Por Eduardo Laguna (Broadcast) e Renata Pedini (Broadcast)
Atualização:

O deputado Aguinaldo Ribeiro criticou nesta quinta-feira, 9, a ideia de fatiamento da reforma tributária, da qual é relator na Câmara. “Não gosto da expressão fatiamento, está mais para steak house (churrascaria). Gosto mais de partir para a promulgação mais rápida se houver condição técnica no texto de fazê-lo”, declarou o parlamentar ao participar de evento do Itaú BBA.

PUBLICIDADE

Ribeiro reforçou o objetivo de entregar a reforma para a promulgação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva até o fim do ano. Apontando que o Senado deve ter preservado os princípios e o conceito da reforma, ele avaliou que, mesmo após análise criteriosa na Câmara, é possível cumprir esse prazo.

“O fatiamento dá a ideia de que a reforma não terminou: parte aprovada, e parte continua discutindo. A ideia não é isso, as duas casas não querem isso, o País não quer isso”, disse o deputado.

Segundo Ribeiro, o texto da reforma ainda não chegou à Câmara, pois ainda está sob revisão técnica no Senado. “Vou aguardar o texto final, revisado, chegar. Não sei, de fato, o que pode ter mudado.”

Plenário do Senado aprovou a reforma tributária nesta quarta, 09/11 Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Ele prometeu, porém, rapidez assim que a proposta de emenda constitucional chegar à Câmara. “Precisamos entregar neste ano e parece que o Senado manteve os princípios da reforma. Acredito que, até o fim do ano, cumprimos esse calendário”, disse o deputado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.