Terreno de herdeiras de Aloysio Faria, do Banco Alfa, é vendido por R$ 370 milhões no Rio

Comprado pela Tegra Incorporadora e pela Construtora São José, local na orla da Barra da Tijuca será usado para construção de residências de luxo

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A Tegra Incorporadora informou na segunda-feira, 4, em comunicado ao mercado, que comprou um terreno de cerca de 30 mil metros quadrados na orla da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, em conjunto com a Construtora São José, por R$ 370 milhões. O objetivo das empresas é a construção de um empreendimento residencial de luxo no local.

PUBLICIDADE

A venda foi revelada pelo blog do Lauro Jardim, do jornal O Globo, que afirmou que o terreno foi vendido pelas cinco filhas do banqueiro Aloysio Faria, que faleceu em setembro de 2020, aos 99 anos. De acordo com o blog, trata-se do maior negócio imobiliário do Rio no século 21.

Na época de sua morte, ele era o banqueiro mais velho da lista da revista Forbes e o terceiro mais idoso entre todos os bilionários, com uma fortuna estimada em US$ 1,7 bilhão. Médico por formação, Aloysio Faria herdou de seu pai o banco que viria a ser o Real — que ele vendeu em 1998 ao holandês ABN Amro (posteriormente comprado pelo Santander). Depois da venda, ele fundou o banco Alfa.

Terreno de cerca de 30 mil metros quadrados no Rio de Janeiro é comprado por R$ 370 milhões  Foto: REPRODUÇÃO / TV GLOBO

Faria teve a vida marcada pela discrição, ganhando o apelido de “banqueiro invisível”. Em mais de 80 anos de vida empresarial, ele construiu um conglomerado, o grupo Alfa, que incluía o banco Alfa e também uma dezena de empresas, como a rede de hotéis Transamérica, emissoras de rádio, a fabricante de água mineral Águas da Prata, a gigante de material de construção C&C, a produtora de óleo de palma Agropalma, entre outros negócios.

Como mostrou o Estadão em reportagem de 2022, no entanto, após a morte de Faria suas cinco herdeiras começaram a desenhar a venda do patrimônio da família, com fontes próximas à situação afirmando que o próprio banqueiro definiu a tática de venda e divisão do patrimônio já em seu testamento - até como forma de evitar conflitos futuros.

O banqueiro Aloysio Faria.  Foto: Aloysio Faria/Arquivo Pessoal

Entre essas negociações, o banco Alfa foi adquirido em 2022 pelo rival Safra, que também fechou a aquisição do Delta National Bank, com sede em Nova York, nos Estados Unidos. A família também passou adiante o terreno onde funcionavam o Hotel Transamérica e o Teatro Alfa, na Marginal Pinheiros, para o projeto de um clube de surfe de luxo que tem envolvimento do BTG Pactual.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.