PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Provas de rua de A a Z

Presidente do Quênia manda erguer mansão para o funeral de Kelvin Kiptum

Cerimônia fúnebre está marcada para sexta-feira

Foto do author Silvia Herrera
Por Silvia Herrera
Atualização:

Era domingo à noite, 11 de fevereiro. A ideia era só assistir a final do Campeonato Africano das Nações com os amigos no shopping center.  Kelvin Kiptum tinha motivos de sobra para celebrar. Em sua terceira maratona, em Chicago, em outubro, ele quebrou o recorde mundial com o tempo de 2:00:35, e finalizou 2023 com o título de Atleta do Ano, pela World Athletics (foto abaixo)! E 2024 prometia ser mágico - o próximo desafio seria em abril e a meta era baixar ainda mais o tempo - quebrar finalmente a barreira das 2 horas nos 42km. E na sequência - o sonho do pódio olímpico. Ele já estava classificadíssimo para representar o Quênia em Paris. Mas em um segundo tudo mudou.

 Foto: World Athletics

PUBLICIDADE

Ele dirigia seu Toyota Premio na Rodovia Eldoret-Ravine, conhecida por sua falta de segurança. Dava uma carona para seu treinador Gervais Hakizamana, 33 anos, e a amiga Sharon Kosgey, que tentou alertar o amigo que ele acabara de sair da estrada...  O trio estava vindo de Eldoret  a Chepkorio, 37,8 km de distância, onde se juntaria a amigos no Small Town Chepkorio Center para assistirem juntos o jogo de futebol que iria começar às 23h (17h no Brasil). No entanto, nesse mesmo  horário Kiptum perdeu o controle do carro,  que bateu numa árvore e capotou várias vezes. O recordista e o seu técnico morreram na hora, Sharon escapou com ferimentos leves, e já está se recuperando em casa. Mas o esporte não, continua abalado com essa enorme perda. Hakizamana será enterrado nesta quarta, 21 de fevereiro, em Ruanda, seu país de origem. O corpo do herói do atletismo mundial continua no Mortuário do Hospital Eldoret. O enterro será na sexta-feira, 23 de fevereiro, e o presidente do Quênia, Wiliam Ruto, mandou construir uma mansão em tempo recorde, na fazenda que Kiptum havia comprado para construir sua casa, onde vai ocorrer a cerimônia. Um verdadeiro batalhão de operários está dando conta do recado.

Kiptum completou 24 anos em 9 de dezembro. As três maratonas que correu, venceu e muito bem. Em onze meses ele provocou uma verdadeira revolução no mundo das maratonas, provando que os jovens correm, e muito bem, os 42 km. Na primeira, em Valência em 2022 bateu o recorde do percurso. Na seguinte, a de Londres, repetia a dose, vitória com recorde do percurso - e a segunda marca mais rápida da história. Na terceira se tornou o homem mais rápido do mundo. Ele deixou esposa e uma filha de 3 anos.

No domingo, 18 de fevereiro, a organização da Maratona de Sevilha fez um minuto de silêncio em honra ao campeão, antes da largada. À noite, em Iten - cidade dos campeões do Quênia - cerca de 200 atletas fizeram uma linda homenagem escrevendo o nome do campeão com velas.

 

Foto: reprodução da capa do jornal Daily Nation

Publicidade

CORTEJO

Segundo o Daily Nation, maior jornal do Quênia, o corpo de Kelvin Kiptum será levado do Mortuário do Hospital Eldoret nesta quinta-feira, 22 de fevereiro, para Iten, para que o público possa se despedir do ícone do esporte. Dela será levado para a casa da família, em Chepsaimo, onde será o velório durante toda a madrugada, restrito a familiares. O funeral será na sexta-feira, na fazenda do campeão em Naiberi, na região de Uasin Gishu, com a presença do presidente do Quênia Wiliam Ruto, entre outras autoridades. E na mansão que está sendo erguida em tempo recorde para isso (foto abaixo).

 

 Foto: reprodução de Instagram

INVESTIGAÇÃO

Quatro dias antes do acidente fatal, Kiptum foi visitado por quatro estranhos, que conversam durante cinco horas com ele. Samson Cheruiyot, pai de Kiptum, se lembrou desse fato e avisou a polícia, que já prendeu os suspeitos para interrogatório.  Segundo a revista espanhola Corredor, Kiptum assinou com a marca chinesa Qiaodan Sports,  logo após a vitória em Valência por US$ 1 milhão, em janeiro de 2023, e a primeira corrida trajando todo o equipamento chinês seria na Maratona de Londres, em abril. Porém, segundo o The Times, o atleta fechou com a Nike em Londres e correu calçando Nike. Segundo ainda o  The Times, esses quatros homens misteriosos seria representantes da Qiaodan Sports. Eles seguem presos em Iten, mas alegam que nada tem a ver com a morte do campeão.  As investigações continuam. De acordo com o comandante da policia local, Peter Mulinge, o relatório preliminar da perícia inicial no carro de Kiptum descarta problemas mecânicos, ou nos freios ou pneus. Nesta segunda feira, 19 de fevereiro, a Diretoria de Investigações Criminais (DCI) do Quênia destacou para essa investigação os melhores peritos forenses do país, e que tudo será esclarecido o mais breve possível.

 Foto: reprodução de Instagram

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.