PUBLICIDADE

Corinthians demite Mano Menezes após cinco jogos na temporada

Técnico não resiste à sequência de quatro derrotas no Campeonato Paulista e uma das últimas vagas na classificação geral

Por Leonardo Catto
Atualização:

Mano Menezes não é mais técnico do Corinthians. O treinador foi demitido pelo clube nesta segunda-feira, dia 5, depois de mais um resultado negativo no Campeonato Paulista, a derrota (3 a 1) para o Novorizontino na Neo Química Arena, no domingo. Essa foi a quarta derrota seguida do time no Estadual.

PUBLICIDADE

O treinador e o clube tinham contrato até 2025. Ainda no domingo, depois do jogo, o presidente Augusto Melo usou o prazo do contrato como garantia de que Mano iria permanecer no posto. Ele também defendeu o técnico dizendo que, somente depois da chegada de mais reforços, o trabalho poderia ser, de fato, avaliado. “O Mano tem contrato até 2025. A gente está estruturando para que ele tenha uma condição melhor de trabalho. O que tem de fazer é trabalhar, ver o que está acontecendo, trabalhar mais ainda para sair dessa situação”, disse o presidente.

Além das derrotas, o time do Corinthians ainda não teve bom desempenho neste ano. Houve somente uma vitória, na estreia do Estadual diante do Guarani. Desde então, a equipe foi derrotada por Ituano, São Bernardo, São Paulo e Novorizontino. No domingo, a torcida entoou cantos pedindo pela demissão de Mano.

Ainda não foi anunciado um substituto para o comando técnico do Corinthians. Além de Mano, o auxiliar técnico Sidnei Lobo e o preparador físico Diogo Linhares deixam seus cargos no Parque São Jorge. O auxiliar Thiago Kosloski comandará os treinamentos do time nesta semana.

Depois da derrota para o Novorizontino, o atacante Romero puxou a responsabilidade para o elenco, mesmo com um novo treinador. “Não é trabalho do treinador, é nosso trabalho. Nós jogadores temos de tomar a responsabilidade, a gente que entra jogando. Como falei, pode vir treinador novo, como veio ano passado também, mas quem tem de melhorar é a gente”, disse.

Ao comentar a demissão, nas redes sociais, Mano Menezes enfatizou que a “interrupção do trabalho” foi uma decisão da “nova direção do Corinthians, 33 dias após assumir o clube”. Ele foi contratado ainda na gestão de Duílio Monteiro Alves, que faz parte do grupo que comandou o Corinthians por 16 anos, mas foi desbancado por Augusto Melo na última eleição. “Agradeço ao torcedor corintiano que sempre foi muito carinhoso e respeitoso comigo e com a minha equipe. E também a todos os profissionais que estiveram comigo nesses cinco meses de trabalho”, completou o treinador em nota.

Pior passagem de Mano Menezes pelo Corinthians

Essa é a terceira passagem de Mano pelo clube. Ele chegou em setembro de 2023 com chances de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Foram 20 jogos desde setembro de 2023, com nove derrotas, seis vitórias e cinco empates. O desempenho em números não é nem perto do que o treinador fez com o Corinthians nas duas outras vezes que comandou o time.

Publicidade

Entre 2008 e 2010, Mano só deixou o Corinthians para assumir a seleção brasileira. Em 59 jogos, venceu 29, empatou 14 e perdeu 16. As derrotas representaram 27% doas partidas. Na segunda passagem, durante a temporada de 2014, Mano teve 20 vitórias, 12 empates e sete derrotas. Os reveses foram apenas 17% dos 39 jogos totais. Entre as 20 partidas de 2023 e 2024, as derrotas representaram 45%.

A relação com o elenco também estava em baixa. Mano teve um episódio isolado com o atacante Yuri Alberto, quando o chamou de “burro”. O técnico disse que chamou uma jogada de “burra” e não o jogador. Desde o caso, a equipe caiu ainda mais de rendimento. Líderes do elenco como Fagner e Cássio falharam em lances decisivos e também foram criticados pela torcida. O Corinthians é o lanterna do Grupo C e ocupa a zona de rebaixamento do Campeonato Paulista. Na quarta-feira, o time vai à Vila Belmiro medir forças com o Santos, às 19h30.

Corinthians desiste de Zanardi

Márcio Zanardi, atualmente no São Bernardo, foi apontado como possível interesse do Corinthians para o futuro. Por estar em outra equipe do Campeonato Paulista, ele não poderia assumir o time no Estadual, devido ao regulamento impedir a troca de clube por técnicos. O time alvinegro, então, desistiu de sua contratação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.