Publicidade

Seleção masculina de vôlei bate checos em jogo tenso e com brilho de Darlan; saiba quem é ele

Brasil vence República Checa por 3 sets a 2 com muita emoção no Maracanãzinho, chega a segundo triunfo seguido e lidera o Pré-Olímpico

PUBLICIDADE

Por Estadão Conteúdo
Atualização:

A seleção brasileira de vôlei masculino não teve uma vida fácil, mas venceu a República Checa em partida recheada de emoções por 3 sets a 2, parciais de 22/25, 25/16, 25/20, 21/25 e 16/14, neste domingo, dia 1º, no Maracanãzinho. Com o resultado, conquistou o segundo triunfo consecutivo no Pré-Olímpico e dá mais um passo rumo a Paris-2024.

O destaque da partida foi o oposto Darlan, com 23 pontos. Ele substituiu o irmão Alan durante o duelo e mudou o futuro da seleção brasileira. Ao final do jogo, foi ovacionado pelos torcedores no Maracanãzinho, no Rio. Nas comemorações, fez um gesto característico de Naruto, anime japonês de ninjas muito popular entre os brasileiros, e curtiu a festa.

Darlan ataca em duelo contra a República Checa pelo Pré-Olímpico Foto: Reprodução/X: @volei

“A torcida eleva muito o meu nível dentro de quadra, me faz sentir mais leve. Não tem explicação. É inacreditável tudo isso. Vou guardar na memória para sempre. Foi o jogo da minha vida”, disse Darlan, emocionado. Ele tem apenas 21 anos.

Mas quem é Darlan?

O jogador é um dos novatos do time masculino do Brasil de vôlei. Não é titular do técnico Renan, mas mudou a história da partida neste domingo, contra a República Checa. Darlan nasceu em 2002. Ele tem 1,92 metro de altura e pesa 95 quilos. É oposto. Já defendeu nas bases o Fluminense, AABB, Sada Cruzeiro e Sesi/SP. Foi campeão Sul-Americano Sub-19, vice da Copa do Brasil e do Paulista e campeão da Libertadores.

Jogo duríssimo

PUBLICIDADE

A República Checa não era vista como uma seleção que poderia complicar o caminho do time brasileiro rumo aos Jogos Olímpicos de Parias, mas teve um bom desempenho no Rio. A equipe europeia fez um primeiro set impecável e se aproveitou de alguns erros brasileiros para vencer por 25/22. O Brasil chegou a evitar dois set points, mas não evitou a derrota.

A história, no entanto, começou a mudar com a entrada de Darlan na vaga do irmão Alan. No segundo set, ele brilhou e carregou a seleção brasileira para vencer por 25/16. Além da grande atuação individual do oposto, que chegou, naquele momento, a sete pontos na partida, destacaram-se os erros dos checos: oito no total. No terceiro set, o Brasil voltou a dominar e, sob a batuta de Darlan, se colocou à frente da disputa. Ele, inclusive, fez o ponto decisivo em um bonito ace, o que levantou as arquibancadas do Maracanãzinho.

A República Checa cresceu novamente no quarto set e nem mesmo Darlan foi suficiente para evitar o empate, com boa atuação de Sotola. O Brasil ainda reagiu no fim, mas acabou perdendo por 25 a 21, após um erro de saque de Honorato.

Publicidade

No quinto set, mais emoção na quadra. Os europeus largaram na frente e continuaram assim até ter um match point a seu favor. Apoiado pelos torcedores, a seleção brasileira não desistiu, evitou a derrota e ainda virou em bloqueio de Flávio para confirmar a vitória. O Brasil volta à quadra na terça-feira, dia 3, no Maracanãzinho, às 20h30 no horário de Brasília, quando enfrenta a Alemanha. A seleção brasileira soma cinco pontos e está na liderança do Pré-Olímpico.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.