Publicidade

Djokovic explica ausência em Miami: ‘Equilibrando minha agenda’

Tenista sérvio e número um do mundo lamenta decisão de ficar fora do Masters 1000 após ser derrotado pelo italiano Luca Nardi

PUBLICIDADE

Por Estadão Conteúdo
Atualização:

Número um do tênis no mundo, o sérvio Novak Djokovic explicou sua decisão de não disputar o Masters 1000 de Miami. “Olá, Miami. Infelizmente, não jogarei o Masters 1000 de Miami neste ano. Nesta etapa da minha carreira estou equilibrando minha vida privada e a profissional”, escreveu o tenista nas redes sociais. “Lamento não poder encontrar alguns dos melhores e mais apaixonados torcedores do mundo. Estou ansioso para voltar a jogar em Miami.”

PUBLICIDADE

Aos 36 anos e profissional desde 2003, o sérvio é o único top 40 do ranking com mais de 30 anos. Alguns de seus atuais rivais eram recém-nascidos quando ele iniciou sua jornada no circuito profissional. No Masters 1000 de Indian Wells, ele foi surpreendido pelo jovem italiano Luca Nardi, de 20 anos e apenas o 123º do mundo. Nesta temporada, o sérvio ostenta 8 vitórias em 11 partidas disputadas, sem nenhum título.

Maior campeão de Miami, ao lado do americano Andre Agassi, com seis troféus, Djokovic não disputa o torneio desde 2019. O evento não aconteceu em 2020 por causa da pandemia, e o sérvio não pode entrar nos Estados Unidos nos dois anos seguintes por não ter se vacinado contra a Covid-19.

Djokovic lamentou decisão de não disputar Masters 1000 Foto: Andy Wong/AP

Recordista de títulos de Grand Slams e um dos maiores nomes do tênis da história, Novak Djokovic tem em 2024 uma nova chance de completar uma das poucas lacunas em sua carreira. Na Olimpíada de Paris, o sérvio busca a inédita medalha de ouro. Em quatro participações nos Jogos, ele conquistou a medalha de bronze em Pequim 2008.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.