PUBLICIDADE

Vídeo engana ao afirmar que comandante do Exército deu recado a Lula e STF

Homem que aparece discursando é deputado em São Paulo e nunca comandou Exército ou Marinha; pronunciamento é de 2022 e não cita o presidente e nem o Tribunal

Por Luciana Marschall

Uma postagem no Facebook engana ao afirmar que um comandante militar teria enviado “um grave recado para Lula e STF” durante pronunciamento na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Na realidade, o homem que aparece no vídeo que circula na rede social é o capitão Oscar Castello Branco de Luca, deputado estadual que nunca comandou nenhuma das Forças Armadas. Além disso, em nenhum momento do trecho compartilhado na rede social o presidente Luiz Inácio Lula Silva e o Supremo Tribunal Federal (STF) são citados.

Homem em vídeo é deputado em São Paulo e não comandante do Exército ou da Marinha Foto: Reprodução

PUBLICIDADE

O início do vídeo é uma montagem em que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece sentado, em uma imagem estática, olhando para uma tela. Nela, aparecem cenas dos ex-comandantes do Exército, general Marco Antônio Freire Gomes, e da Marinha, almirante Garnier Santos. Um narrador diz que “o comandante do Exército fará uso da palavra”. Em seguida, o vídeo é cortado para outra cena, em tela cheia, na qual aparece um homem discursando no Plenário Juscelino Kubitschek, da Alesp. Uma legenda em tom de urgência afirma: “comandante da Marinha manda um grave recado para Lula e STF”. Algumas letras das palavras “Lula” e STF” são substituídas por caracteres especiais e números. Essa é uma tática utilizada para tentar burlar a pesquisa por conteúdos desinformativos.

A busca reversa de um frame do vídeo inicial, em que aparecem os ex-comandantes do Exército e da Marinha, ajudou a identificar que a aquela cena foi gravada durante a cerimônia do Dia do Exército, realizada em 19 de abril de 2022, no Quartel-General do Exército (QGEx), em Brasília.

O evento, que contou com a presença do então presidente Bolsonaro, foi transmitido ao vivo pela TV Brasil. Aos 13 minutos e 45 segundos se escuta o cerimonialista anunciando que o comandante do Exército falará. A voz é a mesma ouvida na postagem no Facebook. A transmissão oficial demonstra que parte da imagem foi cortada no conteúdo desinformativo. No plano original aparecem, além dos ex-comandantes, o ex-presidente Bolsonaro e o ex-vice-presidente, general Hamilton Mourão.

Já o segundo vídeo utilizado na montagem apresenta não o general Marco Antônio Freire Gomes, que é anunciado, mas sim o deputado em São Paulo Castello Branco. A reportagem localizou a transmissão da solenidade, na íntegra, no perfil da Alesp no YouTube. A cerimônia foi solicitada pelo próprio deputado em homenagem ao Dia do Marinheiro e realizada na manhã de 16 de dezembro de 2022, no Plenário Juscelino Kubitschek.

No Facebook é utilizado apenas um trecho da fala dele e em nenhum momento o discurso é político-partidário ou cita Lula, à época presidente eleito, ou o STF. No trecho completo, que pode ser assistido entre 59 minutos e 28 segundos e 1 hora, 5 minutos e 40 segundos, também não é feita qualquer menção neste sentido. A maior parte da fala é destinada a um resgate histórico da passagem do deputado junto às Forças Armadas.

Além disso, Castello Branco nunca foi comandante do Exército ou da Marinha. Na biografia dele, disponível no site da Alesp, não consta qualquer afirmação neste sentido. De família tradicional de militares, ele é sobrinho neto do ex-presidente Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco. O deputado entrou no Exército ainda adolescente e na Marinha teve apenas uma experiência de três anos, como ele mesmo explica no discurso. Castello Branco se afastou do serviço ativo após sofrer um acidente de helicóptero e depois seguiu carreira política.

Publicidade

O nome dele não consta nas galerias de ex-comandantes da Marinha ou do Exército.

A reportagem procurou as assessorias do deputado, do Exército e da Marinha, mas não recebeu retorno até essa publicação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.