PUBLICIDADE

Sinais de fraude: vídeo promete ganhos diários de até R$ 300 com ‘novo aplicativo do Google’

Conteúdo mostra site aleatório durante ‘tutorial’; aplicativo não está disponível no Google Play Store

Por Gabriela Meireles

O que estão compartilhando: vídeo no qual um homem diz que o Google teria lançado um “novo aplicativo” chamado OpiniPix que pagaria até R$300,00 por dia para usuários avaliarem empresas. Cada empresa avaliada renderia R$ 25 que seriam debitados na conta bancária do usuário por meio de transação pix.

PUBLICIDADE

O Estadão Verifica investigou e concluiu que: é enganoso. Em nota, o Google afirmou que o aplicativo não está disponível no Google Play e que não iria comentar o caso. “Recomendamos aos usuários que baixem aplicativos de fontes confiáveis para garantir a segurança do dispositivo”, comunicaram.

Na verdade, o vídeo mostra um site aleatório, e não um aplicativo. Não foram identificados e-mail ou telefone para suporte, plataforma oficial para baixar o app ou rede social verificada.

Vídeo mostra um site aleatório, e não um aplicativo. Foto: Reprodução

Saiba mais: o vídeo começa com um recorte tirado de contexto do influenciador Pablo Marçal dizendo: “Como que você, com o Google na mão, não tem uma renda?”. No vídeo original, postado na conta oficial de Marçal no YouTube dia 1º de abril de 2022, ele se referia à possibilidade de obter renda-extra com ajuda do celular. O aplicativo OpiniPix sequer é mencionado.

Em uma busca no Google, o nome do aplicativo leva a uma série de vídeos no YouTube e mensagens não respondidas no ReclameAqui. Vários desses conteúdos afirmam que o OpiniPix seria oferecido por um suposto “especialista em Google” chamado Thiago Oliveira, cujas redes sociais oficiais ou formas de contato não foram encontradas.

As avaliações do suposto aplicativo no YouTube confundem ao recomendar diferentes links de compras e, ao mesmo tempo, alertar contra golpes. Assim, cada influenciador alega estar indicando o site “verdadeiro”.

O conteúdo verificado aqui também foi encontrado em canais golpistas, que oferecem supostos aplicativos para acessar conversas online, pagamentos para limpar nomes no Serasa, entre outros conteúdos falsos.

Publicidade

No Instagram, diversas contas não verificadas e com poucos seguidores dizem ser do OpiniPix. Algumas mentem ao afirmarem ser o canal de atendimento do aplicativo e pedirem que as pessoas enviem mensagens.

Detalhes para ficar atento

De acordo com Guilherme Alves, gerente de projetos da Safernet, existem vários indícios de que se trata de um aplicativo enganoso ou fraudulento. “O vídeo apresenta a mesma narrativa de tantos outros similares, que prometem ganhos rápidos em dinheiro para tarefas simples como avaliar empresas e produtos, jogar ou clicar em anúncios”, observa.

Outra estratégia comum desse tipo de vídeo, segundo Alves, é mostrar o suposto aplicativo funcionando. Entretanto, no caso verificado aqui, é possível ver que se trata de uma página web, com um nome que em nada remete ao suposto aplicativo.

Aos 1min10seg, aproximadamente, é possível constatar que o vídeo não mostra um aplicativo, mas sim um site. Foto: Print com Awesome Screenshot.

Por fim, como observa o especialista da SaferNet, o vídeo foi postado por um perfil que parece usar como foto uma imagem fabricada por IA e que possui posts desconexos e que em nada remetem ao aplicativo. “Essa é uma estratégia comum também: provavelmente o mesmo vídeo foi postado em dezenas ou até centenas de páginas ou perfis diferentes, dificultando o trabalho de denúncia e remoção.”

O Estadão Verifica tentou contato com o número de celular que foi digitado durante o vídeo, mas não obteve resposta até o fechamento da checagem.

O conteúdo verificado aqui também já foi desmentido pela Reuters.

Como lidar com postagens desse tipo: Um importante sinal de alerta é o fato do “aplicativo do Google” em questão não estar disponível no Google Play Store, que é a loja on-line oficial da empresa para compra de aplicativos. Essa plataforma permitiria, por exemplo, acessar comentários de outros usuários, quais tipos de dados a que os apps terão acesso e mais informações de transparência.

Publicidade

De acordo com o gerente de projetos da Safernet, no mínimo, a pessoa pode não receber o dinheiro prometido por esse tipo de aplicativo. No máximo, ela pode acabar sendo vítima de roubo de dados, solicitações de pagamento fraudulentas (do tipo pague uma taxa para usar), ou mesmo ter o dispositivo infectado com extensões ou apps maliciosos que bombardeiam a pessoa com anúncios.

Por isso, é sempre importante verificar quais dados são acessados pelo aplicativo. “Um jogo de cartas não precisa ter acesso à sua câmera, microfone e contatos, por exemplo”, exemplifica o especialista. “Ter esse tipo de criticidade é importante, e deve-se sempre evitar baixar aplicativos que queiram ter acesso a dados que não são essenciais para que o aplicativo funcione.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.