PUBLICIDADE

Protesto na Faixa de Gaza foi gravado em julho, meses antes do atual conflito armado

Postagens tiram de contexto vídeo de manifestação contra alta de preços e por melhoras nas condições de vida na região

Por Gabriel Belic

O que estão compartilhando: um vídeo que mostraria residentes da Faixa de Gaza protestando contra o grupo islâmico Hamas no contexto do atual conflito na região.

O Estadão Verifica investigou e concluiu que: está fora de contexto. O vídeo, de fato, registra um protesto de palestinos na Faixa de Gaza contra o Hamas. As postagens enganam, contudo, ao associar a manifestação aos recentes conflitos na região. Na realidade, a gravação foi realizada em julho – antes, portanto, do atual confronto, iniciado em 7 de outubro.

Protesto na Faixa de Gaza foi gravado em julho e não tem relação com confrontos na região Foto: Reprodução/Instagram

PUBLICIDADE

Saiba mais: sem mencionar a data ou o contexto da gravação, postagens nas redes sociais compartilham um vídeo que mostra uma manifestação. A legenda afirma que trata-se de um protesto “anti-Hamas”. Embora não mencione diretamente os recentes confrontos envolvendo o grupo islâmico e Israel, a peça verificada alega que, enquanto os palestinos estariam se posicionando contra o Hamas, o Ocidente estaria protestando em apoio ao grupo.

De fato, o vídeo mostra uma manifestação em Gaza contra o Hamas. No entanto, a gravação foi registrada em julho, conforme o próprio autor do vídeo explicou. No TikTok, o autor da postagem, Ahmad El Otla, afirmou que a filmagem foi realizada antes dos recentes conflitos na região. A postagem feita pelo autor foi traduzida pelo canal Euronews, que também desmentiu a mesma alegação.

Ao Estadão Verifica, o Departamento de Letras Orientais da Universidade de São Paulo (USP) confirmou a tradução da postagem do autor: “Este vídeo foi gravado pouco antes da guerra, e é de manifestações contra a alta de preços e o bloqueio. Não tem nenhuma relação com a guerra e nem foi feito durante ela. Eu o gravei por meio de um celular que não uso muito, e com a guerra me vi obrigado a usá-lo mais vezes devido à falta de energia. Fui surpreendido pelo fato de o vídeo ter subido na internet”.

Em contato com a equipe do canal francês France 24, Ahmad El Otla enviou a captura de tela dos dados do vídeo, registrado em seu telefone. Os dados indicam que a gravação foi realizada em 30 de julho de 2023, às 11h25. Ele também explicou que publicou o vídeo por engano no dia 22 de novembro. Ele excluiu a publicação, que foi arquivada no Wayback Machine.

A data coincide com uma manifestação realizada pela população da Faixa de Gaza, que protestava contra as quedas de energia e as condições de vida no território. O ato foi noticiado por diversos veículos internacionais, como Le Monde, The Times of Israel e Deutsche Welle.

Publicidade

De acordo com o coletivo de geolocalização GeoConfirmed, o vídeo foi registrado no norte de Gaza, em Jabalia. O coletivo também indicou que, no vídeo, é possível identificar escritórios da administração local. No Google Maps, o prédio está identificado como Conselho de Jabalia.

Esse conteúdo também foi checado pela Agência Lupa.

Como lidar com postagens do tipo: O vídeo analisado é real, mas foi tirado de contexto para desinformar sobre o conflito na região da Faixa de Gaza. Para atestar a veracidade da alegação, busque por palavras-chave no Google (nesse caso, tente Protesto + Gaza + Hamas). Caso o vídeo fosse recente, a imprensa nacional e internacional teria noticiado a manifestação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.