PUBLICIDADE

Vídeo de humorista é tirado de contexto para alegar que polícia do Rio usa arma falsa

Postagens compartilham conteúdo de influenciador que finge ser PM nas redes sociais; corporação negou ter relação com as imagens

Por Gabriel Belic

O que estão compartilhando: que a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) está utilizando armas falsas para combater a criminalidade. No vídeo, um homem vestido de agente policial empunha uma arma de airsoft. “Novo armamento sendo usado no combate a criminalidade, menos letal e esteticamente mais bonito, com essa ponta laranja. Se você não entende de armamento, não diga que esse fuzil é de mentira”, diz uma postagem.

O Estadão Verifica investigou e concluiu que: é enganoso. Na realidade, o vídeo é do humorista William Rodrigues Peixoto, que se apresenta nas redes sociais como “Uber Presente”. Ele faz conteúdos fingindo ser policial militar, usando farda falsa e réplicas de armas. Em nota ao Estadão Verifica, a PMERJ negou o uso de armas de airsoft e confirmou que o humorista não faz parte da corporação.

Vídeo de humorista é tirado de contexto para alegar que polícia usa armas de brinquedo Foto: Reprodução/Facebook

Saiba mais: É possível identificar o vídeo original do humorista William Rodrigues Peixoto pela marca d’água do aplicativo Kwai com o nome de usuário do influenciador, que aparece no vídeo anexado a postagens enganosas. Na gravação, Peixoto aponta uma arma de airsoft para outro homem; pode-se identificar a arma de brinquedo pela ponta laranja do equipamento. O pino serve como marcação visual para diferenciar de uma arma de fogo. As peças de desinformação compartilham o vídeo como fosse real, e não fictício.

PUBLICIDADE

Em contato com o Verifica, a assessoria de imprensa da PMERJ negou o uso de armas airsoft e afirmou que Peixoto não é integrante da polícia. “O referido influenciador não faz parte da corporação, tendo inclusive já sido conduzido à delegacia por nossos militares em outubro de 2023″, afirmou, em nota.

À época, de acordo com a PMERJ, policiais militares do 22° BPM (Maré) prenderam Peixoto sob acusação de se passar por um policial militar na Avenida Brigadeiro Lima e Silva, em Duque de Caxias. Conforme a corporação, ele foi pego por agentes após um homem alegar que foi ameaçado pelo influenciador.

“O morador informou aos agentes que viu o acusado supostamente armado, enquanto dirigia seu veículo particular e decidiu acionar a guarnição. De imediato, os militares abordaram o indivíduo e observaram que o acusado vestia fardas similares àquelas utilizadas pelos agentes da Corporação. Com ele foram encontrados uma tonfa, uma capa de colete balístico, um rádio transmissor e até mesmo réplicas de pistola e de fuzil”, afirmou, em nota.

Em nota sobre o ocorrido, Peixoto alegou que não houve prisão em flagrante, apenas condução à delegacia para dar maiores explicações sobre o material encontrado. Conforme o influenciador, ele foi liberado após prestar esclarecimentos.

Publicidade

A reportagem tentou contato com Peixoto pela rede social de vídeos Kwai, mas não obteve resposta até o encerramento desta checagem.

Como lidar com postagens do tipo: O uso de vídeos encenados fora de contexto é uma tática comum de desinformadores. O Estadão Verifica já checou, por exemplo, que uma gravação de websérie foi usada fora de contexto para alegar que policiais estariam recebendo propina de traficantes. Nesses casos, é importante procurar pela gravação original. Na postagem aqui analisada, o usuário do responsável pela autoria do vídeo aparece na própria publicação. É possível também realizar uma busca reversa de imagens.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.