PUBLICIDADE

Coreia do Norte intensifica ataques e faz mais 60 disparos na fronteira com a Coreia do Sul

A ação ocorreu na mesma região em que um dia antes Pyongyang fez mais de 200 disparos semelhantes

Foto do author Redação
Por Redação

A Coreia do Norte realizou uma nova rodada de exercícios militares perto da fronteira com a Coreia do Sul neste sábado, 6, segundo informações de autoridades em Seul. Foram feitos mais de 60 disparos de artilharia ao redor da ilha de Yeonpyeong, mesmo local onde nas últimas horas Pyongyang realizou mais de 200 disparos, violando um acordo militar de 2018.

Os exercícios consecutivos ocorrem depois que o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, pediu para as forças militares do país acelerarem os preparativos para uma guerra mais intensa, após afirmar que a política dos Estados Unidos está tornando o confronto inevitável.

Ditador norte-coreano intensifica ataques na fronteira marítima com a Coreia do Sul.  Foto: KCNA via KNS/AFP

PUBLICIDADE

Em comunicado, o exército norte-coreano disse que seus exercícios eram uma resposta aos treinamentos militares sul-coreanos no início da semana. Avisou, também, que a Coreia do Norte lançará uma “contra-ação severa em um nível sem precedentes” se a Coreia do Sul se envolver em provocações.

Especialistas afirmam que a Coreia do Norte provavelmente continuará sua série de testes militares para aumentar sua vantagem em futuras negociações potenciais com Washington, à medida que os EUA se aproximam das eleições presidenciais.

A mal marcada fronteira marítima oeste das Coreias foi palco de batalhas navais sangrentas entre as Coreias em 1999, 2002 e 2009. O suposto afundamento de um navio de guerra sul-coreano pela Coreia do Norte matou 46 marinheiros sul-coreanos em março de 2010, e o bombardeio de artilharia da Ilha de Yeonpyeong pela Coreia do Norte matou quatro sul-coreanos em novembro de 2010.

Em uma recente reunião-chave do partido no norte, o ditador lançou retórica feroz e depreciativa contra a Coreia do Sul, dizendo que ela não deve ser considerada como parceira para reconciliação ou unificação. Ele ordenou que o exército use todos os meios disponíveis, incluindo armas nucleares, contra a Coreia do Sul em caso de conflito.

Desde 2022, a Coreia do Norte realizou mais de 100 testes com mísseis, muitos deles armas nucleares direcionadas aos Estados Unicos e à Coreia do Sul. Os EUA e a Coreia do Sul responderam expandindo seus treinamentos militares, o que a Coreia do Norte chama de ensaio de invasão./AP

Publicidade

Este conteúdo foi traduzido com o auxílio de ferramentas de Inteligência Artificial e revisado por nossa equipe editorial. Saiba mais em nossa Política de IA.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.