Foto de Kate Middleton após cirurgia é recolhida por agências de notícia por suspeita de manipulação

De acordo com a Associated Press, fotografia mostra uma inconsistência no alinhamento da mão esquerda da princesa

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A primeira foto de Kate Middleton, a princesa de Gales, desde sua cirurgia abdominal, há quase dois meses, foi divulgada neste domingo, 10, após semanas de especulações sobre seu paradeiro. Mas, a foto foi posteriormente recolhida pela Associated Press e outras agências de notícias porque parecia ter sido manipulada, alimentando mais conjecturas sobre a situação da esposa de William, Príncipe de Gales.

PUBLICIDADE

A foto de Kate em uma cadeira cercada por seus três filhos foi creditada a William, herdeiro do trono, e teria sido tirada no início da semana em Windsor. “Obrigada por seus votos gentis e apoio contínuo nos últimos dois meses”, disse Kate nas redes sociais. “Desejando a todos um Feliz Dia das Mães.”

A AP publicou inicialmente a foto, que foi divulgada pelo Palácio de Kensington. Mas a AP posteriormente removeu a imagem porque, após uma inspeção mais detalhada, parecia que a fonte havia manipulado a imagem de uma forma que não atendia aos padrões fotográficos da AP. A foto mostra uma inconsistência no alinhamento da mão esquerda da Princesa Charlotte.

O escritório de mídia do Palácio de Kensington não abre nos finais de semana e uma mensagem de voz deixada para um porta-voz não foi retornada imediatamente.

Aviso da agência Associated Press sobre a retirada da imagem de Kate Middleton Foto: Associated Press

A divulgação da foto ocorreu após semanas de fofocas nas redes sociais sobre o que aconteceu com Kate desde que ela deixou o hospital em 29 de janeiro, depois de uma internação de quase duas semanas após uma cirurgia planejada. Ela não era vista publicamente desde o dia de Natal.

A família real tem estado sob mais escrutínio do que o habitual nas últimas semanas, porque tanto Kate como o rei Carlos III não podem cumprir as suas funções públicas habituais devido a problemas de saúde.

Autoridades reais dizem que Charles está em tratamento para uma forma não especificada de câncer, que foi descoberta durante o tratamento de um aumento da próstata. O monarca cancelou todos os seus compromissos públicos enquanto recebia tratamento, embora tenha sido fotografado a caminhar para a igreja e a reunir-se em privado com funcionários do governo e dignitários.

Publicidade

Kate, 42 anos, foi submetida a uma cirurgia em 16 de janeiro e sua condição e o motivo da cirurgia não foram revelados, embora o Palácio de Kensington, o príncipe William e o escritório de Kate tenham dito que não estava relacionado ao câncer.

Embora o palácio inicialmente tenha dito que forneceria apenas atualizações significativas e que ela não retornaria aos deveres reais antes da Páscoa – 31 de março – ele fez uma declaração no mês passado, em meio a rumores e teorias da conspiração, dizendo que ela estava bem e reiterando a sua declaração anterior.

“O Palácio de Kensington deixou claro em janeiro os cronogramas de recuperação da princesa e estaríamos apenas fornecendo atualizações significativas”, disse o palácio em 29 de fevereiro.

Outras questões foram levantadas na semana passada, quando os militares britânicos pareceram precipitar-se ao anunciar que Kate compareceria a uma cerimônia Trooping the Color em junho, aparentemente sem consultar os funcionários do palácio.

PUBLICIDADE

A aparição teria sido seu primeiro grande dever oficial desde a cirurgia, mas o Palácio de Kensington não confirmou nenhum evento público programado para Kate. Cabe aos funcionários do palácio, e não aos departamentos governamentais, anunciar e confirmar a presença da realeza nos eventos.

Mais tarde, o Exército removeu a referência à sua presença.

A mídia britânica informou que o Exército não buscou a aprovação do Palácio de Kensington antes de publicar detalhes sobre a aparição de Kate em junho, e anunciou o evento com base na expectativa de que Kate, em seu papel como líder da Guarda Irlandesa, inspecionaria as tropas na cerimônia militar anual. /AP

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.