PUBLICIDADE

Rússia x Ucrânia: veja a comparação de forças aérea, terrestre e marinha dos países

Levantamentos que analisam as forças militares de cada País revelam um quadro de disputa de forças com tamanhos significativamente distintos

PUBLICIDADE

O ranking de maiores potências marítimas do mundo em 2023, divulgado pelo Diretório Mundial de Navios de Guerra Militares Modernos (WDMMW, na sigla em inglês), apontou a Rússia como a terceira colocada, enquanto a Ucrânia figurou na 34ª posição, entre as 36 listadas na classificação.

A distância entre os dois países que estão em guerra revela um quadro de disputa de forças com tamanhos muito diferentes. Da mesma forma, rankings semelhantes que classificaram a força terrestre e a aérea neste ano também evidenciam um grande contraste entre as duas nações que, ao mesmo tempo que tiveram perdas durante o conflito, também passaram a investir no inventário.

PUBLICIDADE

Apesar de a Ucrânia ter um poder militar inferior ao russo, o uso de força no conflito entra em patamares semelhantes, já que o país de Zelenski conta com o apoio indireto da Otan. Embora a aliança não forneça ajuda militar diretamente à Ucrânia, os países da Otan enviaram dezenas de bilhões de dólares em equipamentos, liderados pelos Estados Unidos, o maior doador geral.

Confira abaixo a comparação de força entre os exércitos e as forças aéreas da Rússia e a Ucrânia, segundo dados de 2023 do Global Firepower, um ranking que fornece uma exibição analítica de dados relativos a 145 potências militares modernas. Embora o Global FirePower também tenha seu ranking sobre marinhas, a reportagem optou por não utilizá-lo à ausência de dados disponibilizados no ranking. Em seu lugar, usou o levantmaneto do Diretório Mundial de Navios de Guerra Militares Modernos (WDMMW, na sigla em inglês).

Marinha

Com 265 unidades em sua frota ativa, a Rússia ficou na terceira posição do WDMMW, com 83 corvetas, 58 submarinos, 48 navios de guerra, 27 navios de patrulha, 21 navios de assalto anfíbio, 12 contratorpedeiros, 11 fragatas, quatro cruzeiros e um porta-avião. O relatório apontou que o inventário da Rússia, embora volumoso, é muito antigo, com a idade média do casco da Rússia de 30 anos. Por outro lado, houve esforço do País em aprimorar as suas capacidades navais, com a aquisição de 82 novas unidades, entre navios de guerra e submarinos.

Navios militares russos deixam um porto durante exercícios navais da Marinha Russa, na cidade de Baltiysk, no Mar Báltico. Rússia tem a terceira maior marinha, segundo ranking global. Foto: REUTERS/Vitaly Nevar

Na mesma classificação, a Ucrânia aparece em 34º lugar — a antepenúltima posição, na lista de 36 países analisados pelo WDMMW. O país conta com 12 unidades no seu inventário naval ativo, sendo sete navios de patrulha, dois navios de assalto anfíbio, um fragata, um corveta e um navio de guerra de mina. A idade média do casco das unidades da Ucrânia é ainda maior do que a da Rússia: 43,4 anos.

Força Aérea

A Rússia tem 4.182 aeronaves militares, de acordo com o ranking da Global Firepower divulgado em julho deste ano, na qual foi classificada como a segunda maior potência em força aérea do mundo, logo após dos Estados Unidos, em uma lista de 146 países. Entre seu inventário, destacam-se 744 aeronaves de ataque, 773 caças, 444 aeronaves de asa fixa, 1.531 helicópteros, 537 helicópteros de ataque, 372 aeronaves de ataque, 147 aviões de missão especial e 19 aviões-tanque.

Publicidade

Na mesma listagem, a Ucrânia ocupa o 33ª lugar — mais de 30 posições abaixo do país oponente, com 312 aeronaves em seu estoque. Dessas, 71 são de treinamento, 69 são caças, 28 de ataque, 26 de asa fixa, cinco de missão especial, 113 helicópteros e 33 helicópteros de ataque. O país não possui nenhum avião-tanque.

Foto divulgada pelo Ministério da Defesa russo em 14 de agosto mostra a aeronave russa Tupolev Tu-142 de reconhecimento marítimo e guerra anti-submarina (ASW). País tem 4.182 aeronaves militares. Foto: Ministério da Defesa da Rússia via AP

Forças terrestres

Tratando-se das capacidades de guerra terrestre, analisando a frota de tanques de combate por país, a distância entre Rússia e Ucrânia é encurtada na classificação do Global Firepower, em relação aos demais rankings, embora a Rússia ocupe a primeira posição nesta classificação. A Ucrânia aparece em 15º lugar.

Com 12.566 tanques em estoque, o país de Putin ainda detém de 151.641 veículos blindados, 6.575 veículos com canhão autopropulsado (SPG), 4.336 peças de artilharia rebocadas e 3.887 veículos autopropulsados com Projetores de Foguetes de Múltiplos Lançamentos (MLRS).

Já a Ucrânia tem 1.890 tanques, 37 mil veículos blindados, 953 veículos com canhão autopropulsado (SPG), 889 peças de artilharia rebocadas e 647 veículos autopropulsados com Projetores de Foguetes de Múltiplos Lançamentos (MLRS).

Militares do exército ucraniano dirigem um tanque no vilarejo de Robotyne, na região de Zaporizhzhia, na Ucrânia. Ucrânia aparece em 15º lugar na classificação de forças terrestres. Foto: REUTERS/Viacheslav Ratynskyi

Pessoal

PUBLICIDADE

Na análise do Global FirePower que analisa a “mão de obra” de cada país, detalhando a quantidade máxima de pessoas que cada nação pode comprometer em um esforço de guerra, a Rússia aparece com 69,6 milhões de pessoas. Cerca de 46 milhões estão supostamente aptas, isto é, o número pressupõe indivíduos fisicamente aptos para a luta e para a produção de material envolvido na condução de uma guerra de longo prazo.

A categoria ainda detalha que a Rússia ainda tem 250 mil membros na Força Aérea, 360 mil no exército e 155 mil na marinha. Há ainda 155 mil pessoas em instituições paramilitares, as quais o ranking descreve como entidades semimilitares que podem fortalecer a capacidade de combate de uma determinada nação no terreno.

Soldados ucranianos treinam em um campo de tiro no leste da Ucrânia, em março de 2023. Ucrânia tem cerca de 22,2 milhões de pessoas são listadas como “mão de obra disponível” para conflitos. Foto: The Washington Post via Alice Martins

Já na Ucrânia, cerca de 22,2 milhões de pessoas são listadas como “mão de obra disponível”. Destas, 15 milhões são supostamente aptas. Segundo a listagem, o país conta com 35 mil membros na Força Aérea, 200 mil no exército, 15 mil na marinha e 50 mil pessoas em instituições paramilitares.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.