Apps de namoro são péssimos para privacidade, mostra estudo; veja ranking

Dos 25 aplicativos testados pela fundação Mozilla, 23 foram reprovados

PUBLICIDADE

Foto do author Henrique Sampaio
Por Henrique Sampaio
Atualização:

Um estudo realizado pela Mozilla concluiu que os aplicativos de namoro estão coletando mais informações pessoais do que nunca e compartilhando, vendendo ou falhando em proteger adequadamente esses dados.

PUBLICIDADE

Nos testes de privacidade realizados pela fundação, 23 dos 25 aplicativos avaliados foram reprovados, incluindo Tinder, Bumble, OkCupid, Scruff e Grindr. O único aplicativo que passou em todos os testes foi o Lex, enquanto Harmony e Happn receberam uma avaliação “ok”, falhando em alguns aspectos. O Grindr, voltado ao público LGBTQ+, recebeu a pior avaliação.

Aplicativos de namoro são uma fonte preciosa de dados pessoais, podendo incentivar o usuário a compartilhar informações sobre sua personalidade, gostos, religião, etnia, visões políticas, orientação sexual, peso, práticas sexuais, além de fotos e vídeos. Além disso, boa parte deles rastreiam sua localização exata, mesmo quando o aplicativo não está em uso, como Tinder, OkCupid e Grindr. Segundo a Mozilla, 80% dos aplicativos podem vender ou compartilhar esses dados pessoais para fins publicitários, mesmo quando você paga um plano de assinatura.

Dos 25 aplicativos testados pela fundação Mozilla, 23 foram reprovados, oferecendo algum risco de segurança ao usuário; Grindr foi o pior avaliado Foto: Aly Song/REUTERS

Metade dos aplicativos avaliados não passaram nos testes de segurança e lidaram com violação de dados e vazamentos nos últimos três anos. A Mozilla cita o caso de um grupo católico conservador que gastou milhões de dólares para comprar dados do Grindr, por meio de corretores de dados, para monitorar padres gays nos EUA. A empresa também foi processada por centenas de usuários recentemente no Reino Unido que alegam que suas informações privadas, incluindo o status de HIV, foram compartilhadas para empresas de publicidade sem consentimento.

O relatório também aponta que 25% dos aplicativos coletam informações que o usuário nem imagina que está compartilhando, como os metadados dos conteúdos compartilhados, incluindo informações sobre quando um vídeo ou foto foi feito, onde e em que dia. Mais da metade dos aplicativos (64%) também afirma, em seus termos de uso, usar dados para identificar outros dados, como rastrear seu conteúdo usando serviços de terceiros para “ajudar a identificar seus interesses e atividades, como se sua foto incluir animais de estimação, esportes ou viagens, e para ajudá-los a fornecer melhores correspondências para você”. Com isso, uma empresa pode segmentar o usuário com mais anúncios ou serviços para obter mais dinheiro.

Inteligência artificial agrava o problema

De acordo com o relatório, o crescente uso de inteligência artificial pelos aplicativos pode implicar em ainda menos privacidade e segurança. Em 2022, o Match Group, que controla o OkCupid, usou imagens do aplicativo para treinar software de reconhecimento facial sem o consentimento dos usuários, por exemplo.

A Match Group também é proprietária do Tinder, Hinge, Match, BLK e outros 6 aplicativos, o que, de acordo com a Mozilla, poderia permitir o compartilhamento de suas informações para além de um único aplicativo utilizado.

Publicidade

Em um exemplo mais recente do uso antiético de IA, o estudo cita uma investigação apontou que o Grindr está implementando chatbots baseados em IA capazes de manter conversas picantes, treinados a partir das mensagens privadas dos usuários humanos, sem o consentimento deles.

A fundação também considera que o uso de algoritmos de IA para conectar pessoas, como no Tinder, OkCupid e Happn, pode reforçar vieses raciais e sociais.

A pesquisa completa e detalhes das avaliações individuais de cada aplicativo pode ser vista no site da Mozilla.

Como se proteger

A fundação recomenda as seguintes práticas, para manter o sigilo e a privacidade nos aplicativos de namoro:

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

  • Não se conecte por meio de outras contas e redes sociais. Isso permite que mais informações pessoais sejam compartilhadas com a empresa;
  • Desative a publicidade personalizada, bem como a coleta de dados não essenciais, nas configurações do aplicativo, se houver a opção;
  • Se parar de usar o aplicativo, solicite a exclusão de seus dados. Apenas a exclusão do aplicativo não apaga seus dados pessoais e nem fecha sua conta;
  • Limite as permissões do aplicativo quando possível, como a localização, lista de contatos e álbum de fotos.

Veja o ranking

O único aplicativo que passou em todos os testes de segurança e privacidade do Mozilla foi o Lex, que ficou em 1ª posição. Happn e eHarmony receberam uma avaliação intermediária, ainda sendo considerados seguros. Todos os outros, do Her ao Grindr, falharam em um ou mais critérios, como uso de dados, controle da dados, histórico, segurança e IA. O Grindr, em última posição, falhou em todos os critérios.

  1. Lex
  2. Happn
  3. eHarmony
  4. Her
  5. Muzz
  6. Badoo
  7. Tinder
  8. OkCupid
  9. Match
  10. Hinge
  11. Plenty of Fish
  12. BLK
  13. Facebook Dating
  14. Bumble
  15. Tantan
  16. Christian Mingle
  17. Jdate
  18. Elite Singles
  19. Zoosk
  20. Lovoo
  21. Scruff
  22. CoffeeMeetsBagel
  23. Black People Meet
  24. Our Time
  25. Grindr

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.