PUBLICIDADE

Como usar o LinkedIn para melhorar sua vida profissional

Se procura um novo emprego ou quer ampliar sua rede de contatos, veja como usar os serviços da plataforma para se beneficiar plenamente

Por Charlotte Cowles
Atualização:
Desde março, o LinkedIn introduziu várias ferramentas para ajudar seus membros a terem acesso a ofertas de emprego Foto: Robert Galbraith/Reuters

Há quem diga que o LinkedIn é uma rede social com o mínimo de diversão possível, sem memes, sem GIFs. É possível dizer ainda que o LinkedIn é o equivalente a um serviço de networking profissional — um site tão denso que ninguém realmente teria interesse em navegar. Mas num futuro de curto prazo, a pandemia tem erradicado muitos outros métodos de encontrar novas oportunidades de carreira. Agora que o happy hour com antigos colegas ou a possibilidade de se relacionar com outras pessoas em conferências de trabalho foram descartados, o LinkedIn foi promovido a um destino essencial na internet.

PUBLICIDADE

Desde março, a plataforma da Microsoft introduziu várias ferramentas para ajudar seus 706 milhões de membros a terem acesso a mais de 14 milhões de ofertas de emprego e aprenderem novas competências para desenvolvimento da sua carreira. Todas os novos recursos estão disponíveis aos usuários do LinkedIn e não exigem um plano premium para serem acessados.

Se você está em busca de um novo emprego ou apenas desejando expandir sua rede profissional, abaixo um guia para usar o website e ter plenos benefícios.

Atualize seu perfil regularmente

Um perfil no LinkedIn cuidadosamente preparado é uma maneira importante de continuar relevante. “Muitas pessoas só atualizam seu perfil quando estão à procura de emprego, de modo que não se extrai desse perfil seu pleno potencial”, disse Ashley Atkins, coach e antiga recrutadora. “As pessoas perguntam por que ninguém as procura, e a resposta é porque estão inativas. Se o seu perfil está obsoleto, você praticamente não existe”.

Além de colocar sua função e competências, não deixe de incluir uma foto. “Sua foto deve ser profissional e representá-lo bem”, indicou Tejal Wagadia, recrutadora da empresa de educação digital StrongMind. “Se apropriado, o ideal é ter uma foto que mostre a sua personalidade” (Ela exibe sua foto tomando água de coco do próprio coco, que descreve como “um bom iniciador de conversa").

Suas competências devem ser precisas

Publicidade

A seção “competências” no seu perfil no LinkedIn merece uma atenção especial se estiver buscando um emprego, uma vez que os recrutadores buscam candidatos usando as competências como palavras-chave. “Os membros do LinkedIn com pelo menos cinco competências inseridas no seu perfil têm 27 vezes mais de probabilidade de serem descobertos”, disse Blake Barnes que cuida da estratégia e desenvolvimento de novas ferramentas e produtos no LinkedIn.

O site oferece um recurso onde seus colegas atuais e antigos podem dar um aval para as competências que você listou. Há ainda uma seção de testes que você pode usar para comprová-las, no caso de ferramentas e linguagens de programação específicas, como Photoshop ou Python, por exemplo. 

Seja ativo na plataforma

Um envolvimento regular com o site pode não propiciar um emprego diretamente, mas ajuda a abrir portas e colocá-lo no radar das pessoas. “Se está curtindo e comentando sobre conteúdo de outras pessoas e compartilhando artigos que lê e gostou, você fica mais visível”, disse Watkins. “Isto dá a outras pessoas mais incentivo para chegarem até você”.

PUBLICIDADE

Mas não faça postagens sobre qualquer coisa. Este não é o Facebook nem o Instagram.“Mantenha-se na sua área de conhecimento”, disse Wagadia. “E evite se envolver em debates sobre religião ou política, que só levam a discussões rancorosas. Se um recrutador ou gerente de contratação ver isto, irá questionar seu julgamento”.

Faça novos contatos – mas seja estratégico

“Se você está procurando um emprego numa determinada empresa, comece fazendo uma busca avançada para encontrar pessoas que tenham algo em comum com a companhia e procure chegar até elas”, disse Michael Quinn, gerente sênior na Ernst & Young que ajuda as organizações a atraírem talentos.

Publicidade

Não tenha vergonha de dizer que necessita de um novo emprego

Em junho, o LinkedIn introduziu um recurso chamado Open to Work que permite ao usuário exibir um distintivo na sua foto indicando que está em busca de um novo trabalho. E segundo dados da companhia, isto incrementa o seu perfil.

“Observamos que as pessoas têm 40% mais de probabilidade de receber uma mensagem de um recrutador e 20% mais de chances de serem contatadas por outro membro se estiverem 'Open to Work' publicamente", disse Barnes. (Se preferem ser mais discretos, os membros têm a opção de exibir esse distintivo de modo que fique visível somente para recrutadores fora da sua companhia). 

Um lado positivo da pandemia é que ela eliminou alguns embaraços para admitir que a pessoa perdeu seu emprego. “Essa transparência não existia antes da covid e agora vem se tornando uma parte importante do nosso ecossistema de candidatos a um emprego”, disse Barnes.

Fique de olho em novos anúncios de emprego e entrevistas

Dados coletados em agosto mostraram que os usuários têm quatro vezes mais de chances de ter um retorno de um recrutador ou gerente de contratação se eles se candidatarem a uma vaga nos primeiros 10 minutos, segundo o LinkedIn. Portanto, ser rápido ajuda. “Recomendamos criar alertas de emprego de modo que ofertas que atendem a seus critérios específicos sejam enviadas a você tão logo sejam postadas”, disse Barnes.

A plataforma também permite aos usuários gravarem práticas de entrevistas online e avaliarem seu desempenho. A ferramenta usa feedback baseado em inteligência artificial para avaliar o quão rápido você está falando, quantas vezes você usa palavras desnecessárias e sem sentido e frases delicadas que devem ser evitadas.

Publicidade

Fique aberto a transições de carreira que não considerou antes

A ferramenta mais recente do LinkedIn é a Career Explorer. Lançada há duas semanas, ela ajuda a conduzir os usuários do site para novas funções que se coadunam com suas competências, mas talvez num setor ou área diferente que não tinham pensado anteriormente.

Para usar a ferramenta, os membros inserem seu emprego atual ou o mais recente e obtêm uma lista de outras sugestões de emprego que requerem competências similares. Por exemplo, um empregado do setor de alimentação poderá ver que seus colegas com freqüência assumem novas funções especializadas de serviço ao cliente, um setor que vem crescendo rapidamente, e requerem 70% das mesmas competências, segundo a ferramenta, que indica também ofertas de emprego na sua área geográfica.

Se existem determinados empregos com competências justapostas, mas algumas importantes que você não possui, a ferramenta vai lhe oferecer links para cursos que pode fazer para aprimorar seu conhecimento. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.