O frio está chegando. Que tal abrir um vinho branco?

O frio está chegando. Que tal abrir um vinho branco?

Publicado por: Ricardo Cesar Publicado: 03/05/2024 12:17 Visitas: 112 Comentários: 0

É verdade que não se fazem mais invernos como antigamente. Mas já estamos em maio e – esperamos – cedo ou tarde a onda de calor atípica que está deixando as regiões Sudeste e Centro Oeste do Brasil com cara de verão vai arrefecer (isso para não falar das catástrofes decorrentes de mudanças climáticas como as enchentes no Rio Grande do Sul - mas essa é outra história). Muita gente espera ansiosa o termômetro baixar alguns graus para abrir um bom vinho tinto.

Nada contra, até porque muitos desses produtos se mostram mesmo excessivamente pesados para serem apreciados no calor. São bebidas robustas, que “esquentam” o corpo e que combinam com pratos igualmente substanciosos. É mais do que justo aproveitar as ocasiões de frio - que são cada vez menos frequentes – para se esbanjar nesses pequenos grandes prazeres.

Mas – tem sempre um mas – será que os tintos são a única boa escolha para os dias e noites mais frescos?

A resposta é não.

Que fique claro: o objetivo aqui não é criar polêmica com quem curte um vinho tinto no frio. A ideia é apenas chamar a atenção para outras possibilidades que podem ser igualmente prazerosas -- e que por vezes são descartadas de forma quase automática, sem nem serem consideradas. Como se a equação “frio + comida = vinho tinto2” fosse uma espécie de lei da gravidade da gastronomia. Essa é uma ótima fórmula, sem dúvida, mas não é a única que permite chegar a um resultado satisfatório.

Os brancos – sobretudo aqueles mais encorpados - podem ser também uma ótima companhia no frio. Esses rótulos não devem ser bebidos muito gelados e sim apenas refrescados, ali ao redor de 10 a 13 graus. Não estamos falando, afinal, de bebidinhas ligeiras e refrescantes, para serem sorvidas na beira da piscina sob um sol escaldante, mas sim de vinhos extraídos, frequentemente com passagem por barris de carvalho, cuja riqueza de sabores e aromas ficaria adormecida caso fossem servidos a temperaturas muito baixas.

Esses produtos podem se untuosos, ‘gordos’, com teor alcóolico mais alto e também capazes de “esquentar” quem bebe. E o mais importante: muitos pratos, inclusive alguns bastante consumidos no inverno, harmonizam melhor com vinhos brancos do que com tintos.

Duvida? Pense num fondue de queijo, sempre tão associado ao inverno e aos vinhos... tintos, na concepção de muita gente por aqui. Ocorre que a melhor harmonização para diversos queijos se dá justamente com brancos.


Sala de barricas do Châteaux Margaux

A tradicional receita suíça de fondue com gruyère e emmental é uma boa prova disso. A acidez da bebida “corta” a gordura do queijo, ao mesmo tempo que vinhos brancos que passam por um processo conhecido como fermentação malolática ganham toques amanteigados que casam perfeitamente com queijos. (Sim, também é possível combinar com tintos, especialmente mais leves, frutados e de boa acidez; e diferentes tipos de queijo harmonizam com diferentes vinhos). 

Muitos outros pratos que podem ser consumidos no inverno, como tortas e quiches, massas com molhos brancos, pratos de frutos do mar com preparos à base de manteiga e molhos encorpados, dentre vários outros, também frequentemente harmonizam melhor com vinhos brancos.

 

Posts relacionados

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimas notícias

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade.