PUBLICIDADE

Publicidade

Malhar o rosto? Clínica de ginástica facial fatura R$ 15 milhões e traz Adriane Galisteu como sócia

Projeto de expansão da Academia da Face incluiu entrada da apresentadora e novo CEO no ano passado; rede de franquias tem 16 unidades em operação e aposta em loja dentro de salões de beleza

PUBLICIDADE

Foto do author Adele Robichez
Atualização:

A Academia da Face, rede de franquias especializada em ginástica facial, nomeou em 2023 o empresário Thiago Palazzini como CEO e trouxe a apresentadora Adriane Galisteu como sócia para impulsionar a sua expansão. Fundada pelo dermatologista baiano Alberto Cordeiro e pelo cirurgião-dentista paranaense Willian Ortega, a empresa conta atualmente com 16 unidades em operação no Brasil e faturou R$ 15 milhões no último ano.

PUBLICIDADE

A clínica surgiu em 2019 com a ideia de ser uma academia de ginástica, mas focada no rosto em vez do corpo. “As pessoas vão à academia e esquecem o rosto”, explica Palazzini. A técnica desenvolvida por Cordeiro consiste em trabalhar os músculos faciais usando um protocolo que mistura drenagem linfática, eletroestimulação e um jato de ácido hialurônico.

A massagem promete como resultado um “lifting”, ou seja, a redução da flacidez e das rugas da face. Assim como em uma academia de ginástica, o cliente contrata um plano que pode ser mensal, semestral ou anual, a partir de R$ 99. O “treino” facial é realizado uma vez por semana e dura 40 minutos.

Alberto Cordeiro, Willian Ortega, Adriane Galisteu e Thiago Palazzini Foto: Divulgação/Academia da Face

Palazzini conheceu a Academia da Face no início de 2023, inicialmente como cliente do espaço. Na época eram três clínicas, uma com operação própria na Vila Olímpia, em São Paulo, e duas franquias em Maringá, no Paraná, e em Salvador, na Bahia.

“Percebi o diferencial em comparação com outras franquias, especialmente o trabalho de treinamento dos franqueados para replicar o sucesso do negócio. Sempre fui ligado ao mundo dos negócios e vi uma oportunidade de usar minha visão empresarial para expandir aquele modelo por todo o Brasil”, relembra.

Em fevereiro do mesmo ano, ele entrou como CEO para promover a expansão. Um ano e dois meses depois, a marca passou a contar com 32 unidades vendidas — três com operação própria em São Paulo, nos bairros Vila Olímpia, Vila Nova Conceição e Jardim Europa. Há clínicas da Academia da Face também no Rio de Janeiro, Brasília, Santa Catarina, Paraná, Bahia e Espírito Santo. Palazzini não quis informar o valor investido para a expansão.

Academia da Face oferece ginástica facial para trabalhar músculos do rosto Foto: Divulgação/Academia da Face

Apresentadora do reality A Fazenda, Adriane Galisteu se tornou sócia do negócio em dezembro do ano passado. A atriz já era paciente de Cordeiro quando aceitou o convite. Hoje ela é o principal rosto da Academia da Face. “Queríamos alguém que representasse a marca, mas que também agregasse”, afirma Palazzini.

Publicidade

O CEO caracteriza a escolha de Galisteu como “um acerto muito grande”. De acordo com ele, a apresentadora, que antes foi sócia da antiga Boate Donna em São Paulo, tem se dedicado ao negócio, trocando experiências e conhecimentos com os empresários, além de servir como embaixadora da marca no Brasil.

Palazzini diz que a rede quer continuar trabalhando com outros influenciadores e celebridades. “Por uma questão estratégica, também queremos parcerias com nomes locais porque há nomes mais fortes dependendo de cada região. Mas Adriane Galisteu é a principal”, explica.

Franquias mais rápidas e baratas dentro de salões

A inauguração de duas novas unidades da Academia da Face está prevista para esta terça-feira, 4. Ambas as clínicas serão instaladas dentro de salões de beleza no Jardim Europa e na Vila Nova Conceição, na cidade de São Paulo.

De agora em diante, os sócios querem focar no modelo de franquia “store in store” (loja dentro de loja). Nele, uma sala de atendimento entre 10 a 30 metros quadrados é montada aproveitando a estrutura de salões de beleza em operação, das classes A e B.

Rede de franquias tem investido em projeto de expansão desde 2023 Foto: Divulgação/Academia da Face

O modelo tem um custo-benefício mais vantajoso, explica Palazzini: uma clínica convencional tem investimento médio de R$ 400 mil e prazo de 90 dias para construção, enquanto uma nesse modelo começa em R$ 138 mil e fica pronta entre 30 e 60 dias.

“Dessa maneira, conseguimos atrair o público de um salão já em funcionamento, fazendo trocas de clientes. Queremos entrar muito forte nesse formato”, indica o empresário. Com a aposta, os sócios planejam chegar a 50 novas unidades e R$ 30 milhões de faturamento até fim deste ano.

Veja quanto é para investir:

Os valores informados se tratam de uma estimativa, podendo sofrer variações de acordo com tamanho e região da loja.

Publicidade

Store in store 10m²

  • Investimento inicial total: a partir de R$ 138 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 105 mil
  • Lucro médio mensal: a partir de 20% do faturamento
  • Prazo de retorno do investimento: a partir de 15 meses

Store in store 20m²

  • Investimento inicial total: a partir de R$ 158 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 125 mil
  • Lucro médio mensal: a partir de 20% do faturamento
  • Prazo de retorno do investimento: a partir de 17 meses

Store in store 30m²

  • Investimento inicial total: a partir de R$ 169 mil
  • Faturamento médio mensal: R$ 135 mil
  • Lucro médio mensal: a partir de 20% do faturamento
  • Prazo de retorno do investimento: a partir de 19 meses

Modelos Smart, Standard e Premium

  • Investimento inicial total: a partir de R$ 250 mil
  • Faturamento médio mensal: R$120 mil
  • Lucro: a partir de 20% do faturamento
  • Prazo de retorno do investimento: entre 12 a 18 meses

Clínica oferece outros procedimentos

De acordo com Palazzini, a ginástica facial foi trazida à clínica por Cordeiro inspirado em técnicas populares no exterior. No Brasil, ainda são poucas as pessoas que têm contato com essa rotina de “treinos”. “Aqui ainda está embrionário, então nós oferecemos uma sessão avulsa para a pessoa conhecer. Geralmente elas voltam e contratam um pacote mensal, semestral ou anual”, afirma.

Em 2020, durante a pandemia de coronavírus, a Academia da Face expandiu seu portfólio de serviços, incorporando procedimentos estéticos com substâncias injetáveis, como botox, e máquinas de alta tecnologia. A rede oferece tratamentos com toxinas e estimuladores de colágeno, criolipólise e drenagem linfática, além de um extenso leque de procedimentos estéticos.

A equipe interna da franqueadora é composta por 12 funcionários, enquanto cada unidade da franquia conta com mais cinco colaboradores. O agendamento de serviços é flexível, com horários das 9h às 21h durante a semana e das 10h às 16h aos sábados.

Marca aposta em modelo "store in store" para novas franquias em 2024 Foto: Divulgação/Academia da Face

Os médicos fundadores da clínica fazem o treinamento prévio de todos os funcionários. “Outras franquias ou clínicas têm seus profissionais treinados pelas indústrias. Os nossos passam por um treinamento intensivo na nossa unidade própria, com Willian e Alberto demonstrando e liberando as técnicas”, explica Palazzini.

Segundo ele, os clientes da marca valorizam especialmente a massagem facial, mas também mostram grande interesse por preenchimentos, estimuladores de colágeno e outros protocolos desenvolvidos para áreas como glúteos e gordura localizada. O valor médio dos serviços é de R$ 2 mil.

A Academia da Face atende desde jovens de 18 anos até idosos de 80 anos para a ginástica facial.

Publicidade

Avaliação de clientes

No Google, as unidades da Academia da Face na Vila Olímpia e no Itaim Bibi têm 5 estrelas, a nota máxima disponível. No total, há 18 avaliações registradas. Os autores das notas concedidas não podem ser verificados. Eventualmente, comentários positivos ou negativos podem ser uma ação a favor ou contra a empresa.

A marca não tem registros no site Reclame Aqui.

Consultor de negócios avalia modelo ‘store in store’

O consultor de negócios do Sebrae-SP Caio Ito acredita que o modelo “store in store” utilizado pela Academia da Face tem um grande potencial de sucesso devido à sinergia entre os negócios.

“Esse modelo tem na sua essência a cooperação mútua, onde a ginástica facial e os serviços oferecidos por salões de beleza têm uma clientela complementar. Clientes que buscam tratamentos de beleza e cuidados pessoais no salão de beleza estão mais propensos a se interessar pela ginástica facial, o que pode aumentar o fluxo de clientes para ambas as partes”, explica Ito.

Além disso, ao compartilhar o mesmo espaço físico, os custos são reduzidos, tornando o formato de franquia mais sustentável financeiramente e permitindo uma margem de lucro maior.

“Outros fatores que contribuem para o modelo ser promissor são a conveniência para os clientes, que podem realizar diversos tratamentos em uma única visita, e a visibilidade rápida que a franquia pode ganhar ao estar localizada em um salão de beleza bem estabelecido”, destaca o consultor.

Para quem deseja apostar no modelo, Ito recomenda promoções conjuntas e pacotes de serviços que incentivem os clientes a experimentar ambos os serviços, aumentando a receita para as duas partes envolvidas.

Publicidade

De acordo com ele, com o modo de vida moderno, o segmento de estética tende a crescer. “Vivemos em um mundo digital onde a velocidade da informação é instantânea. A rotina diária das pessoas é corrida e competitiva, aumentando a necessidade de foco no bem-estar”, observa.

Quanto à inserção de Adriane Galisteu como sócia, Ito vê como uma estratégia altamente benéfica. “No marketing, os influenciadores têm um papel crucial. Ter uma figura conhecida e consolidada no mercado artístico como sócia contribui significativamente para o posicionamento e destaque da marca em um setor competitivo. A presença de Galisteu agrega visibilidade e credibilidade à franquia, facilitando a atração de novos clientes e a expansão da rede”, afirma.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.