PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Antonio Brito pede voto aos colegas até em alemão na campanha para presidir a Câmara

Líder do PSD brinca com van Hattem: ‘Se eu não fosse candidato, votaria em você'

PUBLICIDADE

Foto do author Vera Rosa
Por Vera Rosa

Pré-candidato à presidência da Câmara, o deputado Antonio Brito (PSD-BA) fala fluentemente inglês e francês. Para não perder a prática, faz aulas toda semana bem cedo, às terças, quartas e quintas-feiras, em seu gabinete. Agora, resolveu também investir no alemão.

Na semana passada, Brito trocou palavras nesse idioma, nos corredores da Câmara, com o colega Marcel van Hattem (Novo-RS). Quem estava ao lado entendeu que o líder do PSD estava atrás de votos.

Líder do PSD na Câmara, Antonio Brito falou com Macron em francês.  Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

PUBLICIDADE

“Ele é bem dedicado nas aulas de alemão”, informou van Hattem. “Marcel, tudo isso é para depois fazer um pedido a você porque tudo tem um preço. Se eu não fosse candidato a presidente, votaria em você”, respondeu Brito, às gargalhadas. “Ah, vamos trabalhar isso”, disse o gaúcho.

Van Hattem faz ferrenha oposição ao governo Lula, de quem Brito é aliado. O líder do PSD tem pedido apoio para os colegas e também espera que o Planalto fique a seu lado na campanha para concorrer à sucessão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), em fevereiro de 2025.

Não foi só com van Hattem, porém, que Brito exibiu sua fluência em línguas. No último dia 28, o deputado participou da recepção ao presidente da França, Emmanuel Macron, que visitou o Senado. “Falei com ele em francês”, contou, animado. Pensou um pouco e concluiu: “Gosto muito dessas aulas porque treino todos os lados do cérebro.”

Publicidade

Tudo indica que, nessa campanha acirrada pela cadeira de Lira, ele vai precisar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.