PUBLICIDADE

Ives Gandra dá dicas culturais: filme francês sobre solidariedade e best-seller de autor finlandês

Advogado e professor universitário também indica ao leitor do ‘Estadão’ concerto do compositor alemão Johannes Brahms

Foto do author Redação
Por Redação

Advogado e professor universitário, Ives Gandra Martins é o personagem da semana da série do Estadão “Para Ver, Ouvir e Pensar”. Escritor com livros e artigos publicados em 21 países, o jurista indica um filme francês com uma história de humanismo e solidariedade, um romance do finlandês Mika Waltari e uma obra do compositor alemão Johannes Brahms.

Jurista, Ives Gandra da Silva Martins dá dicas de filme, livro e música Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Um filme

Ives Gandra indica o filme francês “Si tous les gars du monde”, em português “Se todos os homens do mundo”, de 1955. A produção conta a história de 12 tripulantes de um barco pesqueiro acometidos por botulismo, após comerem presunto contaminado. Uma mensagem de socorro é transmitida por ondas curtas e captada por um radioamador. A partir disso, empreende-se um esforço coletivo para salvar a vida daqueles homens. Dirigida por Christian-Jaque, a obra é considerada uma expressão de solidariedade, com a ação de desconhecidos em socorro da tripulação.

Uma música

“Concerto para piano e orquestra nº 1″, do compositor, pianista e maestro alemão Johannes Brahms, é a recomendação de música do advogado aos leitores do Estadão. A estreia da obra ocorreu em 1859, com Brahms ao piano e o violinista Joseph Joachim regendo a orquestra. A composição foi dedicado à compositora e pianista Clara Schumann, casada com o também compositor Robert Schumann. Brahms tinha forte relação de amizade com o casal, que ele conheceu aos 22 anos.

Um livro

Publicado em 1945 e traduzido para o Brasil em 1954, o livro “O Egípcio”, do escritor finlandês Mika Toimi Waltari, é a sugestão de leitura de Ives Gandra. A história se passa no Egito antigo e conta a vida do médico Sinuhe, que busca a todo momento a verdade e a sabedoria. A jornada de autoconhecimento dele leva o leitor a acompanhar eventos históricos, como a trajetória e a morte de faraós. Best-seller, a obra ficcional é reconhecida por ter contornos informativos e filosóficos.

Livro O Egípcio, por Mika Waltari Foto: Reprodução

Ficha técnica:

Filme: Se todos os homens do mundo, dirigido por Christian-Jaque (1955)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.