PUBLICIDADE

‘Se te prenderem, será para destruição deles’, diz Malafaia em ataque ao STF em ato de Bolsonaro

Coube ao pastor fazer as críticas mais duras à Corte e aos ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, em meio às investigações de tentativa de golpe de Estado pelo ex-presidente

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Coube ao pastor Silas Malafaia, organizador do ato convocado por Jair Bolsonaro (PL) na Avenida Paulista, fazer os ataques mais diretos ao Supremo Tribunal Federal (STF), ao afirmar que se prenderem Jair Bolsonaro (PL) será “para a destruição deles”. Em seu discurso, antes da esperada fala de Bolsonaro, Malafaia apontou diversos questionamentos à atuação do ministro Alexandre de Moraes, relator dos inquéritos contra o presidente que, entre outras coisas, investiga a tentativa de um golpe de Estado. Ele também fez ataques a Luís Roberto Barroso, presidente da Corte. E afirmou que não teme ser preso, mas que vergonha seria “fugir” no momento do que chamou de “a maior perseguição política da história”.

Manifestação na Avenida Paulista foi convocada após investigações sobre tentativa de golpe de Estado Foto: TIAGO QUEIROZ /ESTADÃO

PUBLICIDADE

“Toda essa engenharia do mal, toda essa maldade contra Bolsonaro, covarde, ao arrepio da lei e da Constituição... Presidente, você com Deus é maioria sempre. E eu vou dizer uma palavra que eu disse para você algumas vezes no telefone. Eu não desejo isso pra você, mas vou deixar aqui uma palavra: ‘Se eles te prenderem você vai sair de lá exaltado. Você vai sair de lá exaltado. Se eles te prenderem, não vai ser pra sua destruição, mas para a destruição deles. Você vai sair de lá exaltado”, enfatizou.

Sobre Alexandre de Moraes, Silas Malafaia afirmou que ele “tem sangue nas mãos” em razão da morte de um dos presos pelos ataques golpistas de 8 de Janeiro na Penitenciária da Papuda, completando que “ele vai dar conta a Deus”. Ele ainda criticou falas dos ministros do Supremo.

“Alexandre de Moraes disse que a extrema direita tem que ser combatida na América Latina. Como um ministro do STF tem lado? Ele não tem que combater nem a extrema direita nem a extrema esquerda. Ele é guardião da Constituição”, afirmou, mirando depois em Barroso.

“O presidente do STF, ministro Barroso, disse: ‘Nós derrotamos o bolsonarismo’. Isso é uma vergonha. É uma afronta ao povo. Quero dizer: ‘sabe quem é o supremo poder dessa nação? O povo’. Todo nós temos que nos submeter ao povo”, disparou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.