‘Família É Tudo’: saiba como será a nova novela das sete, comédia romântica ambientada em São Paulo

Com Arlete Salles, Nathalia Dill, Renato Góes e Thiago Martins no elenco, trama terá a zona leste da cidade como um dos cenários

PUBLICIDADE

Foto do author Danilo Casaletti
Por Danilo Casaletti

A novela Família é Tudo substitui Fuzuê na faixa das sete da Globo a partir de segunda, 4. Escrita por Daniel Ortiz – o mesmo autor de Salve-se Quem Puder (2020) e Haja Coração (2016) – a trama se passará em torno da Família Mancini, que tem a matriarca Frida (Arlete Salles) como figura principal na missão de unir seus netos Vênus (Nathalia Dill), Júpiter (Thiago Martins), Andrômeda (Ramille), Electra (Juliana Paiva) e Plutão (Isacque Lopes).

Os irmãos Vênus (Nathalia Dill), Júpiter (Thiago Martins), Andrômeda (Ramile), Vênus (Nathalia Dill) Plutão (Isacque Lopes), Electra (Juliana Paiva) da novela 'Família É Tudo' Foto: Manoella Mello/ TV Globo

Como será a história

PUBLICIDADE

O desafio começa diante do desaparecimento de Frida, depois de um incidente dentro em uma viagem de navio planejada para reunir os Mancinis.

Seu testamento determina que seus cinco netos terão que morar juntos por um ano para superar as diferenças entre si e reconstruir a gravadora da família, a Mancini Music, gerando um lucro quatro vezes maior do que o valor que eles vão receber para investir no negócio.

Caso os meios-irmãos não cumpram o acordo, a herança deixada por Frida vai direto para as mãos de seu sobrinho, Hans (Raphael Logam), filho de sua irmã gêmea Catarina, que sempre teve o interesse de causar a discórdia entre os primos.

Daniel Ortiz diz que Família É Tudo é uma história para as famílias brasileiras. “É uma comédia romântica, então vamos ter aventura, humor, mistérios, encontros e desencontros abordando sobretudo as relações familiares e como esses cinco meios-irmãos são colocados à prova até perceberem a importância da família em suas vidas”, diz Ortiz.

O autor revela que uma das inspirações foi justamente o fato de vir de uma parentela muito pequena. “Eu acho que eu botei nessa novela um pouco da família que eu gostaria de ter”, afirma.

Ortiz também comenta a escolha dos nomes não tão usuais para os cinco netos de Frida - Vênus, Júpiter, Plutão, Andrômeda e Electra - algo ligado não apenas ao humor, mas também à personalidade de cada personagem.

Publicidade

Arlete Salles interpreta a matriarca Frida Mancini na novela 'Família é Tudo' Foto: Manoella Mello/ TV Globo

“Plutão era o último (planeta) nomeado, então, seria o caçula. Na mitologia romana, Vênus é a deusa do amor, e essa protagonista representa isso. Júpiter é o maior, então ele se acha, é o grandão. A Andrômeda é uma galáxia distante, meio que vive na dela, e a personagem que vive mais descolada da realidade, no seu próprio mundo”, explica.

Arlete Salles apesar de interpretar Frida, personagem que desaparecerá logo no início de novela – será que, de fato, ela morreu? – continuará na história como Catarina. Ortiz celebra o fato de poder escrever para a atriz.

“Arlete é uma atriz muito solar, representa bem o que é a Frida, essa avó super maternal que cuida dos netos. A Frida quer o bem deles e ao mesmo tempo tentar prepará-los para a vida, porque alguns deles são muito mimados, estão acostumados a viver com o dinheiro dela”, diz, ao dar mais detalhes sobre a trama.

Outros núcleos da novela

A personagem Lupita Sanchez, interpretada por Daphne Bozaski Foto: Manoella Mello/ TV Globo

Família É tudo terá também romance. Tom Monteiro, personagem de Renato Góes, será dono de uma produtora que ajudará Vênus a reerguer a gravadora Mancini Music. Os dois acabaram se apaixonando, mas a ex-mulher de Tom, Paulina Monteiro (Lucy Ramos), fará de tudo para afastar o novo casal.

PUBLICIDADE

Na pensão, uma das moradoras é a personagem Lupita Sanchez, de Daphne Bozaski, uma guatemalteca que se muda para o Brasil na esperança de conseguir emprego na Mancini Music como secretária de Júpiter. Com o sonho de ser cantora, ela se apaixona por Júpiter.

A música, aliás, estará bastante presente em Família É Tudo, afinal o grande negócio da família Mancini é uma gravadora, sobretudo por meio das personagens Andrômeda e Lupita. O autor Daniel Ortiz dá uma dica sobre o que pode aparecer ao longo da trama.

“Eu penso em quem sabe ter um reality show para encontrar uma nova voz para ser lançada pela Mancini Music, colocando alguns personagens para concorrer”, diz.

Publicidade

Na trilha sonora estarão músicas como Jardins da Babilônia, sucesso de Rita Lee regravado por Jão e Julia Mestre para a abertura; Só Hoje, da banda Jota Quest; e Vem Doce, do mais recente álbum de Vanessa da Matta.

São Paulo como cenário

Daniel Ortiz, o autor de 'Família É Tudo' Foto: Manoella Mello/ TV

Família É Tudo, embora gravada nos estúdios Globo, no Rio de Janeiro, terá a história ambientada em São Paulo, com cenas externas nos edifícios Copan e Mirante do Vale, dois símbolos do centro da capital paulista. A direção artística da novela será de Fred Mayrink.

Outra região que terá destaque será a Zona Leste, para onde os cinco irmãos se mudarão logo na segunda semana da novela. “É uma área da cidade muito vibrante, colorida e diversa”, diz Ortiz, que mora em São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.