Faustão é submetido a tratamento intensivo e corpo deixa de rejeitar novo rim; entenda

O apresentador passou por um transplante renal no dia 26 de fevereiro; em agosto de 2023, ele havia sido submetido a um transplante de coração

PUBLICIDADE

Foto do author Maria Fernanda Viana
Por Maria Fernanda Viana
Atualização:

Faustão, internado há 47 dias para realizar e se recuperar de um transplante renal, passou por um tratamento intensivo para que seu corpo aceitasse o novo órgão. Luciana Cardoso, mulher do apresentador, disse nesta sexta-feira, 5, que “a rejeição foi vencida”. Essa rejeição havia sido identificada há três semanas.

PUBLICIDADE

“Nesse período, muitas coisas aconteceram e ele tem lutado bravamente para se manter bem, com energia e disposição para colaborar com sua recuperação. Há três semanas, tivemos a notícia que seu corpo não estava aceitando o novo órgão. Então, um tratamento mais potente foi iniciado e há dois dias tivemos a feliz resposta que aguardávamos: a rejeição foi vencida.”

Ela ainda disse que a expectativa da família é que o tempo traga o reequilíbrio necessário para que todo o organismo volte a funcionar em harmonia. “A luta ainda não acabou, mas já é possível visualizar a linha de chegada dessa maratona”, escreveu.

A mulher de Fausto Silva finalizou a publicação agradecendo às mensagens de fãs e à equipe médica do Hospital Israelita Albert Einstein.

O apresentador passou por uma cirurgia de transplante do rim no dia 26 de fevereiro. De acordo com boletim emitido pelo Hospital Israelita Albert Einstein, onde o apresentador está internado, o transplante foi necessário em função de um agravamento de uma doença renal crônica.

O apresentador passou por um transplante renal no dia 26 de fevereiro. Em agosto de 2023, ele foi submetido a um transplante de coração. Foto: Reprodução de vídeo/'Domingão do Faustão'/TV Globo

Em 2023, Faustão passou por um transplante de coração

Em 27 de agosto de 2023, Faustão foi submetido a um transplante de coração no mesmo hospital. Ele teve alta cerca de 15 dias depois da cirurgia e seguiu em recuperação domiciliar.

A necessidade do transplante veio à tona após Faustão apresentar sérios problemas de saúde, que inicialmente o levaram ao hospital em 17 de agosto, após sentir-se mal. A gravidade de seu estado motivou a inclusão de seu nome na lista única de espera por um transplante cardíaco, coordenada pelo Sistema Nacional de Transplantes. Esse sistema assegura a equidade no acesso a transplantes, independentemente de serem pacientes de redes públicas ou privadas de saúde.

Publicidade

A compatibilidade do coração transplantado foi confirmada após uma série de testes rápidos, desencadeados pelo aviso da Central de Transplante do Estado de São Paulo sobre a disponibilidade de um órgão. Seguindo a cirurgia, Faustão foi mantido na UTI para monitoramento cuidadoso da adaptação ao novo órgão e prevenção de possíveis rejeições.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.