PUBLICIDADE

É falso que tribunal tenha condenado Faber-Castell a vender kits escolares a preços promocionais

Site imita loja da fabricante de lápis de cor; postagens inventam nome de juíza maranhense

Por Talita Burbulhan

O que estão compartilhando: que o Tribunal de Justiça do Maranhão condenou a Faber-Castell por propaganda enganosa e que por punição a empresa de papelaria está sendo obrigada a vender kits escolares a preço promocional.

O Estadão Verifica investigou e concluiu que: é falso. O site em que a pessoa pode adquirir o kit não é oficial. A Faber-Castell informou que os anúncios de kits escolares com desconto são falsos. O Tribunal de Justiça do Maranhão negou a existência de processo contra a empresa e disse que a juíza citada como autora da condenação não integra seu quadro de magistrados.

Site falso imita loja da Faber-Castell. Foto: Reprodução

Saiba mais: Um site informa de forma enganosa que a Faber-Castell, conhecida por comercializar lápis de cor, canetinhas e demais itens de papelaria, está vendendo um kit com 45 itens escolares por R$: 129,00. A informação foi negada pela própria empresa. “A Faber-Castell informa que vem sendo alvo de fake news em sites e publicações na internet com ofertas, promoções e notícias falsas oferecendo produtos com descontos ou de forma gratuita”, comunicou.

PUBLICIDADE

O site falso inventa que a Faber-Castell teria sido condenada pelo Tribunal de Justiça do Maranhão a vender 13 mil kits escolares. O Verifica entrou em contato com o tribunal, que disse não ter localizado processos judiciais na esfera estadual nesse sentido. O TJMA afirmou ainda que Olivia Amaral Cabral Saveiro, a juíza que supostamente teria proferido a condenação, não trabalha lá.

A Faber-Castell possui canais oficiais de comunicação. O site falso leva as pessoas ao engano porque além de ter um endereço parecido, copia o design do site oficial. Compare os dois nas imagens a seguir:

Site falso imita loja da Faber-Castell. Foto: Reprodução
Site falso imita loja da Faber-Castell. Foto: Reprodução

Conteúdos com alegações semelhantes também foram checados pelo Boatos.org, Lupa e Uol Confere.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.