Microsoft chega a acordo para que ‘Call of Duty’ continue disponível no PlayStation

A Microsoft anunciou em fevereiro de 2022 a compra da Activision Blizzard, responsável pelo videogame, e isso poderia restringir o acesso ao jogo

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A Microsoft informou neste domingo que chegou a um acordo para que o videogame “Call of Duty” continue disponível no console PlayStation após a aquisição da Activision Blizzard. “Estamos ansiosos por um futuro em que jogadores de todo o mundo tenham mais opções para jogar seus jogos favoritos”, disse o chefe do Xbox, Phil Spencer, que anunciou o pacto no Twitter.

O presidente da Microsoft, Brad Smith, acrescentou na mesma rede social que, desde o primeiro dia do anúncio da compra, eles têm se comprometido em abordar as preocupações dos reguladores, das plataformas e desenvolvedores de videogames, bem como dos consumidores.

“Mesmo depois de cruzar a linha de chegada para a aprovação deste acordo, continuaremos focados em garantir que ‘Call of Duty’ permaneça disponível em mais plataformas e para mais consumidores do que nunca”, afirmou.

A Microsoft anunciou em fevereiro de 2022 a compra da Activision Blizzard, responsável pelo videogame, e isso poderia restringir o acesso ao jogo Foto: Activision Blizzard

PUBLICIDADE

A Microsoft anunciou em fevereiro de 2022 a compra da Activision por quase US$ 69 bilhões, o que seria a maior aquisição da gigante tecnológica e a maior operação desse tipo no setor de videogames.

No entanto, a Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês) entrou com uma ação alegando que a operação permitiria que a Microsoft diminuísse a concorrência no setor de videogames ao assumir o controle de importantes franquias desenvolvidas pela Activision, como “Warcraft”, “Call of Duty” e “Candy Crush”.

A FTC perdeu essa batalha na terça-feira passada, quando uma juíza federal da Califórnia (EUA) autorizou a disputada compra. No entanto, a operação ainda enfrenta obstáculos, pois o órgão regulador pode recorrer dessa decisão - algo que já sugeriu que fará - e, além disso, a Microsoft ainda precisa resolver o bloqueio da aquisição no Reino Unido.

O prazo para concluir a compra da Activision termina na próxima terça-feira, embora as duas empresas, como lembrou a CNN neste domingo, possam tentar estender essa data. /EFE

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.