PUBLICIDADE

Polícia prende suspeito de matar PM e filha em tentativa de assalto em farmácia de SP

Secretaria de Segurança Pública diz que segue com as investigações para prender os outros dois suspeitos, que seguem foragidos

Foto do author Caio Possati
Por Caio Possati
Atualização:

A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira, 27, um homem de 30 anos suspeito de atirar e matar o cabo da Polícia Militar Anderson de Oliveira Valentim, de 46 anos, e a filha, Alycia Perroni, de 19, no último sábado, 24. O crime aconteceu por volta das 5h no estacionamento de uma farmácia da Vila Medeiros, bairro da zona norte de São Paulo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP), três homens foram ao local com a intenção de assaltar o estabelecimento. Ao perceber a ação do grupo, o cabo da PM saiu do carro armado e acabou abrindo fogo contra os suspeitos.

Troca de tiros e morte do PM e sua filha teria ocorrido na Avenida Nossa Senhora do Loreto, Vila Medeiros, zona norte de São Paulo, segundo a SSP. Foto: Reprodução/Google Street View

PUBLICIDADE

Anderson foi alvejado, e os tiros acabaram também acertando a jovem, que estava dentro carro. A filha e o pai esperavam a mãe, que estava na farmácia. As vítimas receberam atendimento médico, mas não resistiram e morreram no local.

O trio conseguiu escapar em um veículo, que foi encontrado horas depois na cidade de Guarulhos, na grande São Paulo. As impressões digitais deixadas nos carro foram usadas para identificar os suspeitos.

De acordo com a SSP, Douglas Pereira Jesus, um dos possíveis integrantes do grupo, foi encontrado em uma rua “aparentemente embrigado” e já tinha a sua rendição negociada com os agentes da polícia civil. O local onde ele foi detido não foi informado. A sua defesa não foi localizada pela reportagem.

Douglas foi levado ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e à sede do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), na sequência. Ele deve prestar depoimento nesta quarta-feira, 28, informou a pasta.

A Polícia Civil diz que segue com as investigações para prender os outros dois suspeitos, que seguem foragidos.

Publicidade

“Sabemos que não vai trazer o policial e a filha de volta, uma família foi destruída, não poderia deixar de me solidarizar. Mas quero garantir que não vamos medir esforços para dar prontas respostas em casos absurdos como esses”, afirmou Guilherme Derrite, secretário da Segurança Publica de São Paulo, em nota.

O cabo Anderson de Oliveira Valentin integrava o efetivo da 3ª companhia do 7ª Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BMP/M).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.