Voçoroca em SP: vídeo mostra intervenções da prefeitura e Defesa Civil no local; veja

Cratera passou por inspeção na quarta-feira em Lupércio, no interior do Estado, em trabalho acompanhado pelo IPT; entenda o que é o fenômeno geológico

PUBLICIDADE

Foto do author Rariane Costa
Por Rariane Costa
Atualização:

A Defesa Civil de São Paulo iniciou na quarta-feira, 24, os trabalhos para determinar alternativas na contenção da cratera que se abriu em Lupércio, no interior do Estado. A erosão já se manifesta há seis anos, desde 2017, mas passou a avançar nos últimos meses. O trabalho foi acompanhado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), que colaborou na coleta de informações e avaliação de riscos e instabilidade.

As análises, que terão resultado nos próximos dias, também estudam a necessidade de desapropriação de imóveis. A hipótese está descartada no momento em função de medidas de contenção anteriores adotadas pela prefeitura do município. Segundo a Defesa Civil, essas ações contribuíram para retardar o avanço da erosão.

Defesa Civil do Estado e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) realizaram vistoria técnica no local Foto: Divulgação/Defesa Civil de São Paulo

O município ainda deve realizar mais obras no local onde está localizada a cratera. Para isso, uma autorização judicial é aguardada já que se trata de propriedade privada. De acordo com a prefeitura, o custo estimado nessas obras é de R$3 milhões.

O que é voçoroca?

PUBLICIDADE

Palavra de origem tupi-guarani, vossoroca significa ‘terra rasgada’. É é um tipo de erosão intensa que forma grandes buracos no solo devido à ação da água da chuva sobre terrenos vulneráveis, segundo o capitão Roberto Farina, diretor de comunicação da Defesa Civil do Estado de São Paulo.

“Esse fenômeno pode crescer progressivamente se não for controlado, levando à destruição de grandes áreas de terra, o que compromete propriedades e a segurança dos habitantes locais”, conforme alerta a Defesa Civil.

Segundo o capitão Farina, geralmente, a voçoroca acontece quando tem uma infiltração na terra e a vegetação de cima, que cobre, está danificada, ou seja a superficialidade dela não suporta o escoamento.

“Temos a infiltração, com a terra já meio frágil é um fator que pode colaborar para a questão do buraco. O Brasil é uma região que é muito propensa a voçoroca porque temos muitos lençóis freáticos (reservatórios subterrâneos de águas provenientes da chuva que se infiltram no solo por meio de rachaduras). Isso acaba interferindo também. Tem espaços embaixo da terra que são ocos e quando há infiltração na terra pela água da chuva, isso ajuda a criar voçorocas”, afirma ele.

Publicidade

Esta erosão, que começou a se manifestar em 2007, tem sido um desafio persistente para o município.  Foto: Agenor Mariano da Silva Neto

Lupércio: falha em galeria pluvial

A formação da voçoroca, como é conhecido este fenômeno geológico, em Lupércio é atribuída pela Defesa Civil a falha em uma galeria pluvial local.

“Parcialmente na análise da vistoria mostrou que essa falha na galeria pluvial é um dos fatores preponderantes. Mas não podemos falar somente por causa da galeria pluvial, pois tem a questão da chuva, se não chove, a galeria fica ali, mas não tem a erosão. É um conjunto de fatores e um deles está relacionado com a galeria”, disse o capitão Roberto Farina.

A galeria pluvial é um sistema de canalização subterrânea que têm como objetivo a captação e escoamento de água pluvial coletada pelas bocas coletoras.

Segundo Farina, o relatório está analisando até que ponto realmente ela tem uma influência sobre a situação. “Por exemplo, por onde a galeria pluvial passa, se algum encanamento deu algum problema e não foi consertado. Estamos fazendo um relatório para poder entender tecnicamente e com profundidade aquilo. Ele dará informações detalhadas sobre o ocorrido”, acrescenta Farina.

Procurada, a prefeitura de Lupércio não se pronunciou sobre o assunto. O espaço permanece aberto para manifestação.

Pelo Google Maps, é possível ver que a cratera se aproxima da Rua Dr. Adamastor Ferreira Costa e Avenida Santo Inácio.  Foto: Reprodução/Google Maps

Atualmente, o buraco erosivo está com 300 metros de comprimento, 25 de largura e 15 de profundidade. Pelo Google Maps, é possível ver que a cratera se aproxima da Rua Dr. Adamastor Ferreira Costa e da Avenida Santo Inácio.

“Este problema de infraestrutura tem permitido que as águas das chuvas erodam o solo de maneira agressiva, resultando em um avanço da erosão na região. As previsões meteorológicas indicam uma ausência de chuvas mais fortes nos próximos dias, o que contribui significativamente para a contenção do problema e oferece uma janela de oportunidade para as intervenções emergenciais”, acrescenta a Defesa Civil.

Publicidade

Localizado a cerca de 450 quilômetros da capital paulista, nos arredores de Bauru e Marília, o município de Lupércio tem quase 4 mil habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.